Minerador da Tanzânia fica milionário após descobrir duas peças de tanzanita

Homem de 52 anos disse que planeja usar o dinheiro, cerca de R$ 17 milhões, para ajudar sua comunidade, construindo um centro comercial e uma escola.

Da redação, Estadão Conteúdo,
Filbert Rweyemamu/AFP
Saniniu Kuryan Laizer, de 52 anos, com as duas maiores pedras de tanzanita já descobertas em seu país.

Um minerador independente na Tanzânia tornou-se milionário após vender ao governo duas das maiores peças já descobertas no país de tanzanita, uma pedra preciosa. O minerador as vendeu por 7,7 bilhões de xelins (cerca de US$ $3,3 milhões e R$ 17,5 milhões).

Saniniu Kuryan Laizer, de 52 anos, descobriu as duas pedras, que pesam 9,27 e 5,1 kg, nas montanhas de Mererani (norte), em uma área que o presidente da Tanzânia, John Magufuli, cercou com um muro em 2018 para controlar a produção e combater as exportações ilegais de tanzanita.

A tanzanita, pedra preciosa de cor entre azul e púrpura que é exportada principalmente para a Índia, é encontrada apenas nas montanhas de Mererani, perto do Monte Kilimanjaro.

Em uma recepção organizada na quarta-feira na cidade de Manyara para comemorar a descoberta, o ministro da Mineração da Tanzânia, Doto Biteko, explicou que trata-se das maiores pedras já descobertas no país.

"Passamos de uma situação em que os mineradores independentes traficavam a tanzanita para uma em que respeitam os processos, e pagam as taxas governamentais", declarou.

Laizer disse que planeja usar esse dinheiro para ajudar sua comunidade. "Planejo construir um centro comercial em Arusha e uma escola perto da minha casa", disse.

O governo anunciou no Twitter que as duas peças serão guardadas no museu nacional.

Em 2018, quando o Exército começou a construir um muro de 24,4 km em volta das minas de Mererani, o presidente Magufuli estimou que 40% da produção nacional da tanzanita era perdida com o contrabando.

Tags: minerador pedra preciosa Saniniu Kuryan Laizer Tanzânia
A+ A-