Iraque é incapaz de assumir segurança nacional, diz relatório

Estudo conduzido pelo general da reserva da Marinha americana afirma que a força nacional de polícia do Iraque é "ineficaz" e deveria ser extinta.

As forças de segurança do Iraque não têm capacidade de assumir as tarefas dos militares dos Estados Unidos no país nos próximos 18 meses, afirma um relatório divulgado nesta quinta-feira.
 
O estudo conduzido pelo general da reserva da Marinha americana James Jones afirma que a força nacional de polícia do Iraque é "ineficaz" e deveria ser extinta.

O painel independente liderado por Jones, composto por 20 integrantes, avaliou que as forças de segurança do Iraque e a polícia tiveram "progressos desiguais".

O relatório conclui que a força nacional de polícia e o Ministério do Interior funcionam "apenas no papel". "A polícia nacional provou-se operacionalmente ineficaz", diz o relatório.

"O sectarismo das suas unidades prejudica a sua capacidade de prover segurança; a força não é viável na sua forma atual. A polícia nacional deveria ser desfeita e reorganizada."

Iraque rebate

O relatório de Jones é o mais um texto que será analisado pelo Congresso americano no debate sobre a guerra no Iraque.

No começo desta semana, um relatório de uma entidade independente disse que o governo do Iraque é ineficaz e fracassou em cumprir 11 das 18 metas estabelecidas pelos Estados Unidos.

O principal comandante americano no Iraque, general David Petraeus, e o embaixador dos Estados Unidos no país, Ryan Crocker, vão apresentar um relatório no Congresso na próxima semana sobre o progresso do governo Bush no Iraque.

O general Jones falou nesta quinta-feira nas comissões sobre serviços armados do Senado e da Casa dos Representantes (deputados), no Congresso americano.

O porta-voz do Ministério do Interior do Iraque disse à agência de notícias Reuters que a questão do sectarismo estava sendo resolvida e afirmou que o ministério discorda do relatório.

"Nós admitimos que houve problemas antes devido a lealdades sectárias, mas isso envolveu poucas pessoas", disse o porta-voz, general Abdul-Kareem Khalaf.

"Não foi algo geral. Não chega ao nível de se (precisar) desmanchar a polícia."  O relatório de Jones avaliou que a força militar do Iraque, em especial o Exército, demonstrou progresso e pode se tornar uma força viável e independente no futuro.

No entanto, atualmente ela ainda depende do apoio militar americano nas tarefas de combate, logística e treinamento.

"A comissão avalia que nos próximos 12 a 18 meses haverá melhora contínua na sua disponibilidade e capacidade, mas não na capacidade de operar independentemente", diz o texto.

"Em relação a perigos externos, os fatos indicam que as Forças de Segurança do Iraque não poderão garantir a segurança das fronteiras iraquianas contra ameaças militares convencionais no curto prazo."

O porta-voz do Departamento de Defesa dos EUA, Geoff Morrell, disse na quarta-feira que as forças armadas reconhecem que pode demorar algum tempo para que as forças iraquianas se organizem.

"Nós sempre reconhecemos que isso é um projeto de longo prazo", disse ele.

Ele disse que o Pentágono não acredita ser necessário extinguir a força nacional de polícia do Iraque.

Fonte: BBC Brasil
A+ A-