Incêndio em fábrica de explosivos na Rússia deixa ao menos 15 mortos

Ministério de Situações de Emergência disse em uma declaração que “incêndio iniciou ao final de um processo tecnológico” na fábrica, mas que “nada ameaça a população” das cidades vizinhas.

Da redação, Estadão Conteúdo ,
Reprodução/ Twitter
Mais de 170 bombeiros e trabalhadores de resgate foram destacados para controlar o fogo.

Ao menos quinze pessoas morreram após uma fábrica de explosivos pegar fogo na região de Ryazan, no centro da Rússia, cerca de 200 km ao sul de Moscou, de acordo com anúncio feito nesta sexta-feira, 22, pelos serviços de socorro. 

“Quinze pessoas morreram, uma foi hospitalizada com queimaduras graves e seu estado ainda é desconhecido”, disse o governo regional em uma declaração após o incêndio.

Por sua vez, o Ministério de Situações de Emergência disse em uma declaração que “incêndio iniciou ao final de um processo tecnológico” na fábrica, mas que “nada ameaça a população” das cidades vizinhas. 

Mais de 170 bombeiros e trabalhadores de resgate foram destacados para controlar o fogo.

O incidente ocorreu em uma fábrica de explosivos industriais civis da empresa Elastik, embora, de acordo com seu website, a instalação também tenha “capacidade de produção” de munições. 

A Elastik é considerada uma “empresa estratégica” pelo governo russo e pertence, segundo o site da empresa, ao conglomerado estatal Rostec, que agrupa várias fábricas que produzem produtos industriais ou de alta tecnologia tanto para uso civil como militar. 

O incêndio poderia ser devido a uma “violação de processos tecnológicos” e “normas de segurança”, de acordo com uma fonte das forças de segurança, citada pela agência de notícias Interfax.

Incêndios e explosões

Explosões ou incêndios acidentais são bastante frequentes na Rússia, devido ao estado de envelhecimento de sua infraestrutura (muitas vezes datada dos tempos soviéticos) e à falta de padrões de segurança. 

Em dezembro de 2020, onze pessoas morreram em um incêndio em um lar de idosos na região dos Urais.

Em janeiro de 2020, 11 pessoas morreram em outro incêndio em Tomsk, no centro do país, e outras quatro pessoas morreram em um incêndio em Moscou, em abrigos para imigrantes. 

O incêndio mais grave dos últimos anos foi em 2018, quando 64 pessoas foram mortas em um centro comercial que foi engolido pelas chamas e cujos sistemas de alarme e saídas de emergência estavam fora de serviço.

Em São Petersburgo, o fogo destruiu a icônica fábrica Nevsky em abril de 2021. O edifício, que estava muito degradado e parcialmente abandonado, abrigava oficinas e escritórios industriais.

Acidentes em fábricas e armazéns de explosivos e fogos de artifício também são relativamente comuns na Rússia, especialmente quando envolvem depósitos de munição do exército.

Em outubro de 2020, um incêndio com escovas se espalhou para um depósito de munição na região de Ryazan, causando enormes explosões. Cerca de 2.000 habitantes de aldeias vizinhas tiveram de abandonar suas casas. 

Tags: incêndio rússia
A+ A-