Grécia pede ajuda à União Européia para conter incêndios

O governo grego declarou estado de emergência nas províncias de Lakonia e Messinia.

BBC Brasil,
O governo da Grécia lançou um pedido de ajuda urgente à União Européia para conter os incêndios florestais que mataram pelo menos 37 pessoas desde sexta-feira (24).

Serviços de emergência estão sobrecarregados com os mais de 170 focos de incêndio registrados no país.

O governo grego declarou estado de emergência nas províncias de Lakonia e Messinia, no que o primeiro-ministro, Kostas Karamanlis, classificou de "tragédia".

O ministro interino do Interior, Spyros Flogaitis, pediu que os países da União Européia "enviem qualquer ajuda que puderem".

Segundo o correspondente da BBC em Atenas, Malcolm Brabant, os jornais gregos já estão chamando a região do Peloponeso, a mais atingida, de "crematório".

Somente na madrugada deste sábado (25), 20 corpos foram encontrados pelos bombeiros.

O fogo já atingiu até a capital, Atenas. Na madrugada deste sábado (25), mais de 10 caminhões do Corpo de Bombeiros foram enviados para conter um foco de incêndio no distrito de Filothei, no norte da cidade.

"Pior dia"
Segundo Brabant, esta sexta-feira (24) foi o pior dia desde que os incêndios florestais de verão começaram a atingir o país, há cerca de dois meses.

Entre os mortos desta sexta-feira estava um bombeiro voluntário, que sofreu um ataque cardíaco quando enfrentava um dos focos de incêndio.

Pelo menos nove pessoas foram carbonizadas dentro de seus carros, ao tentar escapar das chamas perto da cidade de Zahero, na região do Peloponeso, no oeste do país. As vítimas foram cercadas por uma parede de fogo, que impediu sua passagem.

"A situação é terrível... a velocidade com que o fogo vem se alastrando é espantosa", disse o prefeito de Zahero, Pantazis Chronopoulos.

Seis mortes foram confirmadas na cidade costeira de Areopolis, na região de Mani, no sul da Grécia. Hotéis e vários vilarejos foram evacuados, segundo os bombeiros.

Várias outras pessoas foram levadas para hospitais da região com queimaduras.

"Fora de controle"
O Exército está ajudando os bombeiros, que não conseguem dar conta de tantos focos de incêndio.

O maiores incêndios ainda estão fora de controle, alimentados por ventos secos e fortes, que estão prejudicando o trabalho de combate ao fogo.

Alguns helicópteros conseguiram levantar vôo, e suas equipes foram elogiadas pelo heroísmo de enfrentar as difíceis condições na região.

"Os helicópteros estão operando sempre que as condições permitem", disse Nikos Diamandis, porta-voz do Corpo de Bombeiros. "Os pilotos estão fazendo esforços incríveis."

Segundo o correspondente da BBC em Atenas, o grande número de mortes atraiu ainda mais atenção para o que antes era visto basicamente como um desastre ecológico.

Muitos gregos criticam a resposta do governo aos incêndios, que consideram lenta e inadequada.

O primeiro-ministro, que visitou algumas regiões afetadas pelos incêndios, está sob grande pressão política.

Dentro de três semanas, Karamanlis deverá enfrentar as eleições gerais, que foram antecipadas em seis meses, em parte devido ao fato de que os incêndios estão prejudicando a vantagem dos conservadores sobre a oposição socialista nas pesquisas de opinião.
A+ A-