EUA homenageiam Dalai Lama e irritam China

Motivo foi o pedido do presidente George W. Bush às autoridades chinesas que iniciem um diálogo com o Dalai Lama, que vive no exílio desde 1959.

Em um ato que provocou protestos na China, o líder espiritual do Tibete, o Dalai Lama, recebeu nesta quarta-feira (17), na presença do presidente dos Estados Unidos, a mais importante condecoração civil americana: a Medalha de Ouro do Congresso. 

Durante a entrega da condecoração, o presidente George W. Bush pediu às autoridades chinesas que iniciem um diálogo com o Dalai Lama, que vive no exílio desde 1959.

"Os Estados Unidos elevam sua voz para pedir a liberdade religiosa e o respeito aos direitos humanos básicos. Esses valores forjaram nossa república", disse Bush. "E eles nos aproximaram por convicção e consciência do povo do Tibete e do homem que honramos hoje."

"Vou continuar pedindo aos líderes chineses que dêem às boas-vindas ao Dalai Lama na China", acrescentou. "Eles verão que este bom homem é um homem de paz e reconciliação."

O Dalai Lama, prêmio Nobel da Paz em 1989, disse ter ficado "profundamente tocado" por receber uma "grande honra".

Ameaça

Há anos, a China mantém a posição de que o Dalai Lama representa um perigo à integridade do país por promover internacionalmente a independência do Tibete, invadido por tropas chinesas em 1950.

Mas, em seu discurso de agradecimento pelo prêmio, o líder espiritual insistiu que não busca a independência do Tibete, e sim um grau maior de autonomia para o território.

"A vocês, meus amigos americanos, deixe-me aproveitar esta oportunidade para fazer um apelo às autoridades chinesas para que reconheçam os grandes problemas no Tibete, para que tenham a coragem e a sabedoria para lidar com esses problemas de forma realista", disse o Dalai Lama.

O governo de Pequim qualificou o encontro de Bush com o líder espiritual como uma "interferência grosseira nos assuntos internos" chineses.

Em um editorial, o jornal estatal China Daily disse que "esse evento vai certamente colocar uma sombra nas relações" entre os dois países.

"A China está profundamente ressentida e se opõe resolutamente a isso (ao encontro)", disse, por sua vez, o porta-voz do Ministério do Exterior chinês, Liu Jianchao, segundo a agência oficial de notícias Xinhua.

Esta não foi a primeira vez que Bush e o Dalai Lama se encontraram. Na terça-feira, o presidente recebeu o líder espiritual na Casa Branca para uma reunião a portas fechadas – a terceira do tipo em seis anos.

Fonte: BBC Brasil
A+ A-