Democratas criticam estratégia de líderes dos EUA no Iraque

O general David Petraeus e o embaixador Ryan Crocker estão sob fogo democrata no Congresso

BBC Brasil,
Pré-candidatos democratas à Casa Branca criticaram nesta terça-feira (11) a avaliação dos dois principais líderes americanos no Iraque, o general David Petraeus e o embaixador Ryan Crocker, sobre a estratégia dos Estados Unidos no país.

Durante o segundo dia de depoimento no Congresso, Petraeus e Crocker enfrentaram forte pressão, mas insistiram que a nova estratégia americana no Iraque, que incluiu um aumento no número de soldados a partir de fevereiro, tem provocado os resultados desejados.

O senador Barack Obama, um dos pré-candidatos democratas à Casa Branca, descreveu a guerra no Iraque como um "erro desastroso de política externa" e afirmou que o impacto do aumento de tropas no país foi "modesto" quando considerados os recursos destinados.

O senador Joe Biden, outro pré-candidato democrata, disse que a estratégia não passa de um "tapa-buraco, que não vai evitar o caos", e defendeu o início da retirada dos soldados americanos.

Retirada

Os também senadores e pré-candidatos democratas Hillary Clinton e Christopher Dodd também compõem o painel de sabatina de Crocker e Petraeus.

Embora todos eles sejam contra a guerra no Iraque, as opiniões sobre a data para retirada variam.

No entanto, para Petraeus e Crocker, a nova estratégia melhorou a situação no Iraque. O general disse que a violência diminuiu com a maior presença militar americana no país. O embaixador destacou o crescimento econômico, previsto para 6% neste ano.

Na segunda-feira, o general Petraeus disse que "incidentes de segurança", incluindo violência religiosa, diminuíram desde a escalada militar.

Às críticas de que seria muito próximo à Casa Branca, o general respondeu que seu depoimento não foi aprovado pela presidência ou pelo Pentágono antes de ser apresentado, e que ele próprio o havia escrito.

Com os 30 mil soldados americanos adicionais enviados para o Iraque entre fevereiro e junho, o número atual é de 168 mil soldados americanos no país, o maior número desde o ínicio da guerra.
A+ A-