Cisco Systems diz estar "cooperando com autoridades"

A Polícia Federal prendeu, no Rio de Janeiro e em São Paulo, 40 pessoas suspeitas de evasão de impostos.

BBC Brasil,
A empresa americana Cisco Systems, uma das maiores da área de tecnologia do mundo, disse em nota divulgada na noite desta terça-feira (16) em seu website que a companhia está "cooperando totalmente com as autoridades brasileiras" numa investigação sobre "um suposto esquema para a evasão de impostos".

"Como parte dessa iniciativa, as autoridades brasileiras visitaram e fecharam temporariamente os escritórios da Cisco em São Paulo e no Rio de Janeiro", disse a declaração, que confirma que "um revendedor da Cisco no Brasil" estaria entre um grupo de empresas brasileiras que teria sido alvo da operação.

A empresa afirma ter sido informada que "um pequeno número de funcionários foi detido", mas não acusado formalmente.

A Polícia Federal disse que um total de mais de 600 agentes executaram quase uma centena de mandados de busca em várias partes do país, e prenderam 40 pessoas.

Segundo correspondentes, a investigação, que dura dois anos, se concentrou em alegações de que mercadorias no valor de cerca de US$ 500 milhões foram enviadas por companhias baseadas em paraísos fiscais como o Panamá, num esquema para evitar o pagamento de impostos.

Segundo a declaração, a empresa, com sede no Estado americano da Califórnia, tem entre seus princípios "respeito às leis e regulamentos de todos os países em que faz negócios" e está, no momento, se inteirando do que aconteceu no Brasil para determinar como esta investigação diz respeito à Cisco.

"A operação brasileira da Cisco é parte da região latino-americana dentro da área de mercados emergentes", afirma a declaração, que coloca as vendas na região em "aproximadamente 10% dos negócios totais da Cisco."

"A Cisco não tem uma operação de vendas diretas no Brasil", vendendo seus produtos através de parceiros, e seus negócios continuarão na região através deles, conclui a nota da Cisco Systems.
A+ A-