Cerimônias marcam sexto aniversário do 11 de Setembro

A maior parte da cerimônia não foi realizada no Ponto Zero.

BBC Brasil,
BBC Brasil
Como em outros anos, os nomes das vítimas foram lidos.
Cerimônias marcaram nesta terça-feira o aniversário de seis anos dos atentados de 11 de Setembro, que deixaram quase três mil mortos.

Em Nova York, familiares das vítimas observaram quatro momentos de silêncio, marcando, cada um deles, os momentos em que cada um dos dois aviões atingiu as torres gêmeas do World Trade Center e os momentos em que os dois edifícios desabaram.

Sinos de igreja foram tocados às 8h46, hora de Nova York, marcando o momento exato em que o primeiro avião colidiu com uma das torres em 2001.

A maior parte da cerimônia, com discursos de autoridades e a leitura dos nomes das vítimas, foi realizada pela primeira vez num parque próximo a onde ocorreram os ataques e não no próprio local, conhecido como Marco Zero, devido a obras no terreno onde ficavam as torres gêmeas.

Vítimas

Também de forma inédita, foi incluída na lista de vítimas dos atentados uma pessoa que sobreviveu aos ataques, mas morreu cinco meses depois devido a problemas de saúde que seriam reflexo dos atentados.

A vítima, Felicia Dunn-Jones, era uma advogada que estava trabalhando perto do World Trade Center na manhã de 11 de setembro de 2001.

Bombeiros e membros de equipes de resgate participaram da leitura dos nomes das vítimas. Muitos deles estão hoje com problemas respiratórios e câncer, que eles atribuem ao fato de terem sido expostos à poeira tóxica das torres gêmeas.

Durante a leitura, alguns deles foram tomados pela emoção, lembrando os colegas mortos na tragédia.

Política

O pré-candidato republicano à presidência americana Rudolph Giuliani, prefeito de Nova York quando os atentados ocorreram, participou do evento, assim como a pré-candidata democrata Hillary Clinton, senadora pelo Estado de Nova York.

O presidente George W. Bush optou por não visitar Nova York e observou momento de silêncio na Casa Branca.

Outro que permaneceu em Washington foi Robert Gates, o secretário de Defesa, que liderou uma cerimônia para lembrar os 184 mortos na colisão de um avião com o prédio do Pentágono.

"Os inimigos dos Estados Unidos, os inimigos de nossos valores e de nossa liberdade nunca mais vão descansar facilmente, porque nós vamos caçá-los sem trégua", disse Gates.

Outros eventos lembrando os seis anos do 11 de setembro foram realizados em Shanksville, no Estado da Pensilvânia, onde caiu outro avião, e também no Afeganistão e outros países.

Também nesta terça-feira, foi divulgada uma nova mensagem do líder da rede al-Qaeda, Osama Bin Laden – tido como o principal responsável pelos atentados de 2001 e que vem sendo procurado pelas autoridades americanas desde então.
A+ A-