Governadora garante aeroporto pronto em 2011

Enquanto as obras em São Gonçalo se arrastam, representantes do executivo estadual estipulam prazos de conclusão difíceis de serem cumpridos.

Andréia Freitas,
O aeroporto será o eixo decisivo para o nosso crescimento", disse a governadora Wilma de Faria durante a leitura da Mensagem Anual do Executivo, na última segunda-feira (16), em sessão solene na Assembleia Legislativa. "Os primeiros vôos ocorrerão em 2011", reiterou a governadora. Porém, o secretário estadual de Planejamento e Finanças, Vagner Araújo, não está tão otimista quanto a governadora.

Em entrevista ao Jornal 96, um dia após a leitura da Mensagem, o titular da pasta que está à frente da comissão responsável pelo acompanhamento das obras, rebateu que não há uma data certa para entrega do aeroporto."Nós queríamos que fosse entregue no final do próximo ano, mas o atraso do processo de licitação que vai escolher o consórcio de empresas privadas responsáveis pela conclusão e operação do aeroporto põe em dúvida o prazo", lembrou o secretário.


Vagner Araújo ressaltou que seria mais do que justo a entrega do aeroporto na gestão da governadora Wilma de Faria e do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mas não dá para garantir. "Nossa luta era para que até o final de 2010 fosse entregue para que tanto Lula quanto Wilma participassem dessa inauguração.

Mas do que justo. Porém, com esse atraso na licitação do BNDES, o calendário foi alterado", reforçou o secretário.Segundo a chefe maior do Executivo, na última visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao Rio Grande do Norte, foram assegurados os recursos federais para que as obras dos terminais de cargas e de passageiros sejam iniciadas no ano que vem. "A pista de pouso já está sendo concluída".

O secretário também garantiu que foi firmado um novo convênio entre a Infraero e o Ministério do Exército, responsável pela execução, para a construção do pátio de estacionamento. Ainda segundo ele, as pistas de pouso e de táxi aéreo estão sendo concluídas."Para que a obra não parasse, devido ao atraso na entrada do parceiro privado, a governadora buscou e conseguiu, junto ao governo federal, alocar R$ 60 milhões por meio de um novo convênio.



A obra vai ter mais uma fase, em pleno andamento, e não vai parar, e antes que essa fase termine, pelas nossas estimativas, o BNDES terá concluído a licitação que irá escolher o consórcio de empresas privadas responsável pela conclusão da obra e operação do aeroporto", disse Araújo.Mas, ainda há um ponto de esperança.

Como se tratam de empresas privadas responsáveis pela conclusão da obra, o ritmo poderá ser acelerado. "Há quem diga que uma empresa privada assumindo a execução das obras, terá um ritmo bem mais avançado e sem a burocracia do serviço público será tudo mais rápido.

Sem contar que a empresa vai querer iniciar logo a operação do local para ter o retorno do investimento. Se isso ocorrer, poderemos ainda assegurar esse cronograma, mas hoje ainda está em suspense", finalizou Vagner.
A+ A-