Argentinos vão escolher presidente em um mês

Eleição tem treze candidatos que disputam a sucessão de Néstor Kirchner.

Brasília - Daqui a quatro domingos, no dia 28 de outubro, os argentinos vão eleger o substituto do presidente Néstor Kirchner. Os eleitores também vão escolher 24 senadores e 130 deputados federais.

Treze candidatos disputam a presidência do país: Alberto Rodríguez Saá; a atual primeira-dama Cristina Fernández de Kirchner; Elisa Carrió; Fernando “Pino” Solanas; Gustavo Breid Obeid; Jorge Sobisch; José Montes; Luis Ammann; Néstor Pitrola; Raúl Castells; Ricardo López Murphy; Roberto Lavagna; e Vilma Ripoll.

Para ser eleito, o presidenciável precisará alcançar 45% dos votos válidos ou 40% mais uma diferença superior a 10% em relação ao segundo colocado. Se nenhuma das duas hipóteses for alcançada, haverá segundo turno, marcado para 25 de novembro. Nesse caso, vence o candidato mais votado.

Argentinos que estão no exterior só podem se estiverem radicados em outro país e tiverem se inscrito, até 30 de junho, em uma representação diplomática.

Quem está em trânsito não pode votar. No dia do pleito, o eleitor precisará justificar a ausência no consulado ou na embaixada. O site da embaixada em Brasília é: www.brasil.embajada-argentina.gov.ar. E o telefone: (61) 3364-7600.

Brasileiros e outros estrangeiros que vivem na Argentina não têm direito a voto para cargos nacionais. Mas a legislação de algumas províncias (estados) admite o voto facultativo a residentes permanentes e temporários para candidatos das esferas municipal e provincial.

Fonte: Agência Brasil
A+ A-