Al Qaeda oferece prêmio por morte de cartunista

Lars Vilks publicou uma charge em que a cabeça do Profeta Maomé aparece sobre o corpo de um cachorro.

BBC Brasil,
O suposto líder da al Qaeda no Iraque ofereceu 100 mil dólares (cerca de 190 mil reais) a quem assassinar o cartunista sueco Lars Vilks, que publicou uma charge em que a cabeça do Profeta Maomé aparece sobre o corpo de um cachorro.

Segundo a oferta divulgada em áudio na internet, a recompensa aumentará em 50 mil dólares (cerca de 95 mil reais) se a morte for violenta.

O autor da mensagem - que acredita-se ser Abu Omar al-Baghdadi, ameaçou uma nova ofensiva durante o mês sagrado do Ramadã.

Vários países muçulmanos protestaram depois da publicação da charge, no mês passado.

Outras charges mostrando o Profeta Maomé, publicadas na Dinamarca em 2005, provocaram uma série de violentos protestos no ano passado.

Os muçulmanos consideram qualquer representação visual do Profeta como blasfêmia. Muitos muçulmanos também consideram o cachorro um animal impuro.

Alvos suecos

A última charge foi publicada pelo jornal Nerikes Allehanda em 18 de agosto.

Na semana passada, o primeiro-ministro sueco, Fredrik Reinfeldt, se reuniu com embaixadores de 22 países muçulmanos em uma tentativa de acalmar os ânimos.

Mas segundo a mensagem divulgada neste sábado, os militantes estão anunciando "um chamado pelo sangue de Lars, que ousou insultar nosso Profeta".

"Durante este generoso mês (do Ramadã) nós anunciamos uma recompensa de US$ 100 mil para quem matar este criminoso infiel", afirma a mensagem.

Também foi oferecida uma recompensa de US$ 50 mil (cerca de R$ 95 mil) pela morte do editor do jornal.

A mensagem ainda exige que o governo sueco peça desculpas, caso contrário, a al-Qaeda no Iraque vai lançar ataques contra empresas suecas, como a Ericsson, Volvo, Ikea e Skania.

O cartunista, Lars Vilks, disse à agência de notícias Reuters que não está preocupado com as ameaças de quem representa "uma pequena minoria dos muçulmanos".

Mas ele disse que não as ignora totalmente, e que está em contato com a polícia.
A+ A-