Ex-deputado do PFL investigará contas de Agaciel Maia

Ministro Aroldo Cedraz, do TCU, foi designado para o caso; ainda não há previsão para a entrega do relatório.

Júlio Pinheiro,
Agência Câmara
Aroldo Cedraz analisará evolução patrimonial de Agaciel Maia.
O ministro Aroldo Cedraz, do Tribunal de Contas da União (TCU), será o relator do processo referente às contas do agora ex-diretor-geral do Senado, Agaciel Maia. Cedraz, que foi deputado federal por quatro mandatos, sendo três pelo antigo PFL (hoje DEM), ainda não tem previsão para a finalização do relatório.

Logo após o pedido feito pelo presidente do Senado federal José Sarney (PMDB/AP) ao TCU para que fossem analisadas as denúncias sobre a evolução patrimonial de Agaciel Maia, o presidente do TCU, ministro Ubiratan Aguiar, indicou Aroldo Cedraz para relatar o caso.

Agora, o ministro levantará os dados referentes ao patrimônio do servidor do Senado e, após produzir o relatório, submeterá à apreciação dos demais ministros do TCU. Caso seja aprovado, o documento é encaminhado ao presidente do Senado, que fez a solicitação. Segundo a assessoria do ministro Aroldo Cedraz, ele ainda não iniciou o levantamento das informações.

Durante o período que foi deputado (1991 a 2006), Cedraz esteve no PFL a partir de 1995, ano em que Sarney, também presidente na época, nomeou Agaciel Maia para a diretoria geral do Senado. Após a passagem do senador do Amapá pela Presidência do Senado, o falecido senador Antônio Carlos Magalhães, que era do PFL, ocupou o cargo e manteve Agaciel na direção geral pelos quatros anos que esteve no comando do Congresso.

Depois de Magalhães, Jarbas Vasconcelos, Edison Lobão, Ramez Tebet, José Sarney mais uma vez, Renan Calheiros, Tião Viana e Garibaldi Filho mantiveram Agaciel Maia na função.
A+ A-