CPI da Covid na Assembleia mantém quebra de sigilo de Carlos Gabas

Gabas é investigado na compra frustrada de respiradores pelos estados que compõem o Consórcio Nordeste. Foram investidos R$ 48 milhões.

Da redação, Assembleia do RN,
ALRN
Em reunião na tarde desta quinta-feira, a Comissão negou a reconsideração sobre a quebra de sigilo, mas acatou outros pedidos de Gabas.

A CPI da Covid na Assembleia Legislativa (ALRN), manteve a quebra de sigilo do secretário-executivo do Consórcio Nordeste, Carlos Gabas. Em reunião na tarde desta quinta-feira (18), a Comissão negou a reconsideração sobre a quebra de sigilo, mas acatou outros pedidos de Gabas, que foram a delimitação do período de 1º de março a 21 de maio de 2020 para a quebra dos sigilos, período de início da pandemia, além da solicitação para acesso a dados específicos da investigação.

Gabas é investigado na compra frustrada de respiradores pelos estados que compõem o Consórcio Nordeste. Foram investidos R$ 48 milhões, sendo R$ 4,8 milhões dos cofres do Rio Grande do Norte, em equipamentos que nunca foram entregues.

A reunião não contou com a presença do relator Francisco do PT, substituído pelo deputado George Soares (PL). Além disso, foram ouvidos Valmir Batista e Morais, da empresa Microserv, e Rafaela Leite Fernandes, sobre contratos firmados entre a empresa M A Engenharia Clinica e a Sesap.

Os dois deram explicações na condição de testemunhas e explicaram possíveis irregularidades na prestação dos serviços. Os deputados George Soares e Kelps Lima fizeram perguntas e, em seguida, os dois foram liberados.

Tags: alrn carlos gabas cpi da covid
A+ A-