STJ bloqueia R$ 581 milhões do esquema de venda de sentenças no Tribunal da Bahia

MPF diz que decisões ilícitas investigadas teriam permitido grilagem de cerca de 360 mil hectares de terra no oeste baiano.

Da redação, Estadão Conteúdo,
Asscom/STJ
Ministro Og Fernandes acolheu pedido da Procuradoria-Geral da República para desencadear Operação Faroeste na manhã desta terça-feira.

O ministro Og Fernandes, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), acolheu pedido da Procuradoria-Geral da República e determinou o bloqueio de R$ 581 milhões de parte dos investigados da Operação Faroeste, deflagrada na manhã desta terça (19). A ação visa apurar um suposto esquema de venda de decisões no Tribunal de Justiça da Bahia e afastou seis magistrados – quatro desembargadores e dois juízes.

As informações foram divulgadas pela Assessoria de Imprensa da PGR.

As ações são realizadas nas cidades de Salvador, Barreiras, Formosa do Rio Preto e Santa Rita de Cássia (BA) e em Brasília.

Segundo o Ministério Público Federal, a investigação identificou um esquema de corrupção envolvendo magistrados e servidores do TJBA, advogados e produtores rurais que atuavam na venda de decisões para legitimar terras no oeste baiano.

As decisões obtidas ilicitamente teriam permitido grilagem de cerca de 360 mil hectares de terra, diz a Procuradoria.

A ‘Faroeste’ cumpre na manhã desta terça (19), quatro mandados de prisão temporária e 40 mandados de busca e apreensão em gabinetes, fóruns, escritórios de advocacia, empresas e nas residências dos investigados.

A procuradoria indicou ainda que o grupo teria movimentado cifras bilionárias e utilizado ‘laranjas’ e empresas para dissimular os benefícios obtidos ilicitamente.

Tags: Bahia Combate à corrupção Justiça
A+ A-