Desembargador Vivaldo Pinheiro é eleito presidente do Tribunal de Justiça

TJ realizou eleição virtual para definir os novos dirigentes para o biênio 2021-2022.

Da redação, TJRN,
Cedida/TJRN
Desembargador Vivaldo Pinheiro agradeceu a união demonstrada pelo Tribunal de Justiça ao realizar uma eleição por aclamação.

O desembargador Vivaldo Pinheiro foi eleito o próximo presidente do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, para o biênio 2021-2022, em eleição por aclamação realizada por videoconferência na manhã desta quarta-feira (21). A escolha do presidente do TJRN observa o critério da antiguidade no tribunal. Membro do TJRN desde 2007, Vivaldo Pinheiro será o 65º desembargador a ocupar a sua Presidência. O Tribunal Pleno elegeu a desembargadora Maria Zeneide Bezerra como futura vice-presidente e o desembargador Dilermando Mota como próximo corregedor geral de Justiça.

No biênio 2021-2022 a diretoria da Escola da Magistratura será exercida pelo desembargador Virgílio Macedo Jr., enquanto o desembargador Amílcar Maia será o ouvidor geral, tendo o desembargador Ibanez Monteiro como ouvidor substituto. O desembargador Saraiva Sobrinho será o responsável pela Revista de Jurisprudência. O Conselho da Magistratura será integrado pela desembargadora Judite Nunes e pelo desembargador João Rebouças, tendo os desembargadores Claudio Santos e Expedito Ferreira como suplentes.

Confira o perfil dos dirigentes eleitos do TJRN para o biênio 2021-2022

Após ser eleito, o desembargador Vivaldo Pinheiro elogiou a administração do desembargador João Rebouças e agradeceu a união demonstrada pelo tribunal ao realizar uma eleição por aclamação, assim como o apoio e a confiança depositada por seus pares. “Todo esforço será feito por mim para corresponder. Espero e sei que contarei com o apoio de todos os colegas para que possamos fazer uma boa gestão. Haveremos de fazer uma gestão compartilhada e peço a Deus que me proteja no exercício dessa difícil missão. Sinto-me honrado pela escolha e tudo farei para não decepcioná-los”.

O presidente do TJRN, desembargador João Rebouças, desejou pleno êxito a todos os eleitos e se colocou a disposição da nova administração, desejando que façam uma gestão profícua e muito proveitosa para o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte. “Sei que irão contar com o apoio de todo o tribunal, assim como eu tive nesta gestão”.

Decano do tribunal e atual corregedor de Justiça, o desembargador Amaury Moura afirmou que o dia de hoje é mais um momento histórico para o TJRN. “Nosso Tribunal neste momento tem procedido essas eleições com harmonia, união, coesão, com discussão nos momentos de análises jurisdicionais, nos julgamentos, mas sempre permanecendo com compreensão e respeito”.

“Temos que enaltecer essa união e essa harmonia que nós alcançamos”, afirmou a vice-presidente eleita Zeneide Bezerra, reafirmando seu compromisso para o próximo biênio. “Vocês sabem que eu vivo para o tribunal e amo o que faço e naturalmente vamos buscar ainda mais do que aquilo que temos feito até agora”. E frisou que “é importante trabalhar de forma plural para engradecer o nosso tribunal”.

Dilermando Mota, corregedor geral de Justiça eleito, também agradeceu a união de todos os desembargadores em favor da administração e do desenvolvimento do TJRN. Para ele, o desembargador João Rebouças soube agregar a todos os segmentos para o sucesso da atual administração, que será encerrada em janeiro de 2021.

O desembargador Claudio Santos ressaltou a união demonstrada no dia de hoje como o valor mais importante do Pleno do TJRN. “Quero destacar sobretudo a nossa união, que é o elemento, o valor mais importante que o nosso tribunal tem. É uma união crítica e dialética na divergência nos processos judiciais, mas que nós sempre convergimos nas questões administrativas. Espero que possamos fazer mais e melhor na próxima gestão, como tem sido ao longo das décadas”, disse Santos, parabenizando Vivaldo Pinheiro, seu colega de faculdade e terceiro da turma de Direito de 1976 da UFRN a presidir o TJRN.

O procurador geral de Justiça Eudo Leite salientou que o período atual não tem sido fácil. “Esse é o grande desafio do gestor, de nos tempos difíceis tentar realizar, empreender, fazer seu trabalho e levar adiante os valores institucionais”. Para o chefe do Ministério Público Estadual, os próximos dois anos também serão desafiadores e desejou sucesso e sorte ao desembargador Vivaldo Pinheiro e toda equipe da direção do TJRN.

Representando a Associação dos Magistrados (Amarn), o juiz Luiz Cândido Villaça lembrou que a cada ano surgem situações cada vez mais complexas e que fazem com que o Tribunal e a Justiça se tornem instituições mais fortes. Além disso, desejou sucesso aos eleitos para o TJRN.

A desembargadora Judite Nunes parabenizou a nova gestão, manifestando nela sua confiança. Enalteceu ainda o trabalho profícuo realizado pela atual gestão.

“Gostaria de parabenizar o grande legado da administração dos desembargadores João Rebouças, Amaury Moura e Virgílio Macêdo na administração do Tribunal e desejar uma boa e profícua administração pela nova direção, que venha a desenvolver e elevar o nome do nosso tribunal em todo país”, disse o desembargador Expedito Ferreira.

O desembargador Amílcar Maia, futuro ouvidor do TJRN, parabenizou os eleitos para os cargos de direção e prestou um reconhecimento pelo excelente trabalho daqueles que estão encerrando o biênio atual. "O meu respeito e a minha admiração por todos".

“Agradeço a escolha do meu nome para dirigir mais uma vez a Escola da Magistratura, um lugar que eu quero tão bem”, agradeceu o desembargador Virgílio Macêdo, sendo elogiado em seguida pelo decano Amaury Moura: “A Escola da Magistratura do RN é conhecida nacionalmente pelo trabalho do desembargador Virgílio Macêdo Jr., lá nos primeiros anos”.

“O cenário que nós temos hoje torna o trabalho do gestor muito difícil, às vezes impossível, mas é necessário que alguém se disponha a fazê-lo e nós escolhemos uma equipe que fará esse trabalho e naturalmente temos a responsabilidade de cooperar com eles, temos também o dever de ajudá-los. Temos o interesse de que a gestão seja bem-sucedida e de que o Poder Judiciário consiga administrar e resolver os seus desafios. E isso exige a cooperação dos 15 desembargadores e dos demais magistrados”, manifestou o desembargador Ibanez Monteiro.

O juiz convocado Roberto Guedes destacou a modernização do Judiciário potiguar empreendida durante a atual gestão. “Com certeza, a nova gestão continuará evoluindo na questão da digitalização e do desenvolvimento do PJe”.

Tags: Justiça TJRN
A+ A-