Ex-juiz do Tribunal Regional Eleitoral fala sobe combate à fake news nas eleições

Em entrevista ao Jornal da Manhã, desta quinta-feira, Wlademir Capistrano destacou que muitas vezes os próprios eleitores acabam ajudando a disseminar essas notícias falsas.

Da redação,
Jovem Pan Natal
Wlademir Capistrano destacou a estrutura profissional que utiliza instrumentos tecnológicos avançados para realizar essa disseminação de fake news.

O advogado e ex-juiz do Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE-RN), Wlademir Capistrano, destacou a importância dos eleitores checarem as informações que recebem para não cair em fake news nas eleições deste ano. Em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan Natal (89,9 FM), desta quinta-feira (13), Wlademir disse que muitas vezes os próprios eleitores acabam ajudando a disseminar essas notícias falsas através das redes sociais.

“Infelizmente, pelo que se tem visto, os eleitores são também disseminadores de notícias falsas. A notícia falsa não é uma atividade amadora, é uma atividade profissional, há uma verdadeira estrutura por trás disso”, alertou.

O ex-juiz do TRE-RN lembrou que a campanha de 2018 evidenciou ainda mais esse problema. Ele destacou que essa estrutura profissional, que utiliza instrumentos tecnológicos avançados para realizar essa disseminação de fake news, muitas vezes atua de fora do país, o que dificulta a ação dos órgãos competentes.

“Infelizmente algumas candidaturas compram esse serviço, através de financiamentos paralelos, ilegais e caixa dois. E não é um fenômeno brasileiro, é mundial, aconteceu isso nas eleições dos Estados Unidos e em outros lugares do mundo”, pontuou.

Wlademir afirmou que desde 2018 a Justiça Eleitoral tem se preocupado com o combate as notícias falsas e realizou ações para evitar essa prática. O órgão montou uma força-tarefa, convocou a Polícia Federal, a Agência Brasileira de Inteligência para se debruçar sobre o assunto e identificar e punir os responsáveis pelo crime. Ele ainda destacou que nesses últimos 4 anos a disseminação de fake news foi ampliada, atingindo não só temas relacionados a política, como por exemplo, a questão da vacina contra à covid-19.

“Se a gente está vivendo em um momento de agravamento desta disseminação de notícias falsas, as pessoas precisam estar preparadas e atentas para as notícias que recebem”, disse.


Confira a entrevista
Tags: eleições fake news TRE TSE
A+ A-