PF mira deputado Sergio Souza por propinas na CPI dos Fundos de Pensão

Parlamentar é investigado na Operação Grand Bazaar por supostamente cobrar R$ 9 milhões em propinas.

Da redação, Estadão Conteúdo,
Lucio Bernardo/Agência Câmara
Deputado federal Sergio Souza, do MDB-PR, foi relator da CPI que investigava irregularidades em fundos de pensão.

O deputado federal Sergio Souza (MDB–PR) é alvo de buscas da Polícia Federal na manhã desta segunda (21). Investigação apura se o parlamentar recebeu propina para não incluir o ex-presidente do Postalis, Antônio Carlos Conquista, e da Petros, Wagner Pinheiro, em Comissão Parlamentar de Inquérito da Câmara dos Deputados que apurava desvio de recursos de fundos de pensões. A operação foi autorizada por Celso de Melo, ministro do Supremo.

A Operação Grand Bazaar conta com cerca de 100 agentes que cumprem 18 mandados de busca e apreensão nos endereços dos investigados em Curitiba (6), São Paulo (3), Rio de Janeiro (4) e Brasília (5). Ela é um desdobramento da delação premiada do operador financeiro Lúcio Funaro, investigado nas operações Cui Bono e Patmos, ambas deflagradas em 2017. As buscas incluem o gabinete do emedebista no Anexo 4, da Câmara.

A lavagem de dinheiro envolvia a remessa de recursos desviados dos fundos de pensão para empresas de fachada nos Estados Unidos, segundo informou a PF. Com a confirmação do recebimento de valores em contas indicadas no exterior, operadores disponibilizavam recursos em espécie no Brasil, a fim de que fossem entregues em endereços vinculados a supostos intermediários do parlamentar federal, tanto em residências em Brasília, como em hotéis em São Paulo.

São alvos dos mandados autoridades públicas, beneficiários dos recursos, operadores financeiros, um advogado e empresários que teriam feito os pagamentos ilícitos ao parlamentar.

Tags: Operação Grand Bazaar Polícia Federal
A+ A-