PF mira Collor em esquema de lavagem de R$ 6 milhões em leilões de imóveis

Operação Arremate cumpre 16 mandados para investigar ocultação de patrimônio do senador através da arrematação de bens em hastas públicas.

Da redação, Estadão Conteúdo,
Marcello Casal Jr/Agência Brasil
PF investiga suposto envolvimento do senador e ex-presidente Fernando Collor em arrematações de bens que somam R$ 6 milhões.

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta sexta-feira (11), a Operação Arremate, para investigar um esquema de lavagem de dinheiro envolvendo compras de imóveis em leilões públicos. A ação apura suposto envolvimento do senador e ex-presidente Fernando Collor (PROS-AL) em arrematações de bens, cujos valores, segundo a PF, somam R$ 6 milhões.

Cerca de 70 policiais federais cumprem 16 mandados de busca e apreensão em endereços ligados ao senador em Maceió (AL) e em Curitiba (PR).

As ordens foram autorizadas pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal.

Os crimes teriam ocorrido a partir da compra de imóveis em hastas públicas em 2010, 2011, 2012 e 2016. Hasta é um ato da justiça pelo qual são vendidos bens de um devedor, para que, com o dinheiro da venda, possa-se pagar a um credor e as custas de um processo de execução de dívida.

A corporação diz que o senador teria utilizado uma pessoa interposta – ‘testa-de-ferro’ – para ocultar sua participação como beneficiário final das operações.

“As compras serviriam para ocultar e dissimular a utilização de recursos de origem ilícita, bem como viabilizar a ocultação patrimonial dos bens e convertê-los em ativos lícitos”, diz a Polícia Federal.

No conjunto de ilícitos em apuração, estão os crimes de lavagem de ativos, corrupção ativa, corrupção passiva, peculato e falsificações, além de integrar organização criminosa.

Tags: Fernando Collor de Mello Polícia Federal
A+ A-