Palocci cita Fátima Bezerra como beneficiária de propinas da Camargo Corrêa

Presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, também foi citada pelo ex-ministro da Fazenda.

Da redação,
Elisa Elsie/Assecom-RN
Governadora Fátima Bezerra e Gleisi Hoffmann foram citadas em delação de Palocci à PF como beneficiárias de propinas para campanha de 2010.

O ex-ministro da Fazenda e Casa Civil Antônio Palocci citou, em delação premiada fechada com a Polícia Federal, a presidente nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), Gleisi Hoffmann, e a governadora Fátima Bezerra como beneficiárias de esquemas fraudulentos de distribuição de verbas para campanhas eleitorais da legenda.

Em matéria publicada pela revista Crusoé, que teria tido acesso ao conteúdo da delação, Palocci admitiu ser o responsável pela distribuição de dinheiro valores entregues pela empreiteira Camargo Corrêa para bancar parte das campanhas eleitorais do PT nas eleições gerais de 2010.

Naquele ano, Gleisi Hoffmann disputou e venceu a eleição do Senado Federal, enquanto Fátima conseguiu a reeleição para a vaga de deputada federal.

O ex-ministro afirmou ainda à Polícia Federal que tanto a presidente nacional do PT quanto Fátima Bezerra sabiam que o dinheiro era oriundo de propinas pagas pela Camargo Corrêa. Esses recursos, segundo Antonio Palocci, teriam sido direcionados a vários candidatos do partido. Ele também disse que Gleisi Hoffmann recebeu doações extraoficiais da OAS no valor de R$ 800 mil.

Tags: Antônio Palocci delação premiada Fátima Bezerra
A+ A-