Doleiro preso agora quer acordo de delação premiada

Alberto Yousseff quer colaborar com a justiça para tentar uma redução de pena.

Da redação, JN,

alberto_youssef_370Depois das revelações de Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras, agora é o doleiro Alberto Youssef, que quer colaborar com a justiça para tentar uma redução de pena. 

A informação foi confirmada nesta terça-feira (23) por dois advogados dele. 

Para que a delação ocorra, o Ministério Público Federal tem que aceitar e fechar o acordo de delação premiada. 

Pesa contra o doleiro o fato de ele já ter quebrado um acordo como esse em outro caso. 

Youssef é apontado como o chefe da quadrilha suspeita de lavar R$ 10 bilhões.

CPI da Petrobras

Integrantes da CPI da Petrobras foram pedir ao Supremo Tribunal Federal que autorize o acesso aos depoimentos do ex-diretor Paulo Roberto Costa, que delatou corrupção na empresa.

Nove parlamentares da CPI mista da Petrobras se reuniram com o ministro Ricardo Lewandowski, com o relator do caso, Ministro Teori Zavascki, e o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot.

cpi_stf_770

Janot já recebeu a delação de Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras, e os parlamentares alegam que acesso aos depoimentos é importante para orientar as investigações da comissão.

Tags: doleiro Alberto Yousseff
A+ A-