Confederação Brasileira de Basquete lamenta morte de Édio Alves

Ex-secretário-geral atuou na entidade por 55 anos em diversas posições.

Da redação, Agência Brasil,
CBB
Édio atuou na CBB da década de 1960 até o ano de 2017, acompanhando praticamente todos os títulos e medalhas conquistados.

SELO-CORONA-100A Confederação Brasileira de Basquete (CBB) anunciou nesta segunda (25) a morte de Édio Alves, de 88 anos de idade e que atuou na entidade por 55 anos em diversas posições, entre elas de secretário-geral. A causa da morte foi o novo coronavírus (covid-19).

Seu Édio, como era conhecido, atuou na CBB da década de 1960 até o ano de 2017, acompanhando praticamente todos os títulos e medalhas conquistadas pelo basquete brasileiro, como o Mundial masculino de 1963, o bronze no Mundial feminino de 1971, o título Mundial feminino de 1994, e todas as medalhas olímpicas do masculino e do feminino, além de Sul-Americanos, Copas Américas e outras competições internacionais.

“Seu Édio foi um dos maiores responsáveis pelo basquete brasileiro por 55 anos, grande parte da história da CBB. Uma pessoa humana, séria, educada, sensível, que representava o basquete brasileiro internamente. Todas as pessoas sabem a sua importância. Um grande executivo, antes mesmo de se usar essas palavras nesse meio. Uma figura fantástica”, declarou o presidente da CBB, Guy Peixoto.

Tags: covid-19 Édio Alves morte
A+ A-