Universidade Federal institui grupo de enfrentamento ao assédio sexual

Objetivo é identificar e sugerir medidas institucionais de curto, médio e longo prazo para prevenir e combater o assédio sexual.

Da redação,
Cícero Oliveira/UFRN
Monumento que representa os três pilares da Universidade Federal do Rio Grande do Norte: educação, pesquisa e inovação.

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) instituiu o Grupo de Trabalho pelo Enfrentamento ao Assédio Sexual na UFRN, com o objetivo de identificar e sugerir medidas institucionais de curto, médio e longo prazo para prevenir e combater o assédio sexual, além de outras violências de gênero, no âmbito da instituição de ensino. 

Coordenado e formado em sua maioria por mulheres, o GT tem a participação de representantes da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Proae); da Diretoria de Desenvolvimento de Pessoas da Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (Progesp); da Comissão de Humanização das Relações de Trabalho; da Diretoria de Qualidade de Vida, Saúde e Segurança no Trabalho/Progesp; do Centro de Referência em Direitos Humanos Marcos Dionísio; além de representação estudantil e docente. 

A coordenadora do grupo, a psicóloga organizacional Julliana Paiva, explicou que a iniciativa surgiu devido ao compromisso da UFRN de, em atenção às importantes manifestações e propostas apresentadas pelas estudantes e servidoras que denunciam violências de gênero em diferentes espaços institucionais, identificar e construir ações efetivas para o enfrentamento ao assédio sexual em suas diferentes formas na instituição. Nesse sentido, a psicóloga destaca a importância da ação para consolidar e reafirmar o posicionamento da UFRN no combate a essa e outras formas de violência de gênero, buscando também construir medidas institucionais de proteção e segurança para as denunciantes.

Com a previsão de reuniões quinzenais, o GT tem como sua primeira proposição elaborar uma campanha informativa, com o intuito de conscientizar a comunidade universitária sobre a temática do assédio sexual. 

Ações desenvolvidas

Atualmente, conforme a Progesp, a UFRN já desenvolve ações que contribuem para prevenção e suporte às denunciantes de assédio sexual e moral nas relações de trabalho, como a Comissão de Humanização das Relações de Trabalho, que  tem o intuito de promover ações de natureza educativa e preventiva acerca das violências relacionadas ao trabalho; atuar como suporte diante dos problemas ou conflitos nas relações laborais; e analisar as demandas com indícios de violências no trabalho, agindo para cessá-las, oferecendo suporte ou encaminhando os envolvidos. 

A Universidade oferta também capacitações sobre temáticas ligadas à prevenção de violências, como “Mediação de Conflitos”, “Gestão de Conflitos”, “Gestão das Emoções”, “Assédio Moral (Sensibilização e instrumentalização para combater o assédio moral)”, “Diversidades Afetiva, Sexual, Racial, Religiosa, entre outras (combate aos múltiplos preconceitos)”. Ainda na perspectiva informativa, a instituição disponibilizou a Cartilha “Assédio Moral – Conheça e aprenda a combater. Em fase de reativação, outra ação é o Comitê UFRN com Diversidade cujo objetivo é propor ações transversais, interdisciplinares e intersetoriais de enfrentamento à violência de gênero e a todos os tipos de preconceito e intolerância (machismo, racismo, lgbtqia+fobia, capacitismo, gordofobia, etc). 

De acordo com a Divisão de Atenção à Saúde do Estudante (Dase) da Proae, em suporte às denunciantes, o setor oferece acolhimento psicológico, bem como acompanhamento institucional e discussão em rede com os setores envolvidos no caso. Para denúncias, o canal oficial é a Ouvidoria da UFRN, que pode ser acionada via Plataforma FalaBR

Tags: Assédio Educação UFRN Universidade
A+ A-