UFRN ainda não tem data para retorno das aulas

Reitor não sinalizou volta do ano letivo em 17 de agosto e disse que data de regresso ainda está indefinida.

Rafael Araújo,
Vlademir Alexandre/Arquivo/Nominuto.com
Apesar do Governo ter sinalizado retorno para o dia 17 de agosto, UFRN ainda não decidiu regresso das aulas presenciais.

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) ainda não tem data para volta às aulas presenciais, embora o Governo do Estado tenha sinalizado a possibilidade de retorno para o dia 17 de agosto e o Ministério da Educação (MEC) tenha orientado as instituições federais a alinharem o regresso com os estados.

Segundo o reitor da UFRN, Daniel Diniz, apesar da orientação do MEC, as universidades possuem autonomia própria para decidir sobre o calendário acadêmico. “Eu vi que teve essa orientação do MEC, mas a definição fica a cargo das universidades e nós ainda estamos definindo a data de retorno”, revelou.

O reitor disse ainda que por causa dessa autonomia das universidades acerca do calendário letivo, em alguns estados do país há instituições que já estão tendo aulas. “Cada instituição precisa fazer uma avaliação para verificar se há condições de retorno ou não. Estou fazendo essa discussão de forma descentralizada, tenho feito reuniões permanentes com os diretores de cada unidade para que possamos identificar as particularidades de cada uma e definir um modelo para retornarmos”, argumentou.

IFRN também não tem previsão de retorno

A reportagem também procurou o reitor do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), Josué de Oliveira, para saber sobre o regresso as atividades presenciais. Por meio de mensagens, ele se limitou a dizer que está trabalhando com os dirigentes de Campus para "dar uma resposta mais unificada à sociedade".

O reitor do IFRN foi nomeado pelo Ministério da Educação mesmo sem ter sido eleito pela comunidade acadêmica na eleição do ano passado.

Entenda o caso

O então ministro da Educação, Abraham Weintraub, nomeou o professor Josué de Oliveira Moreira para exercer o cargo de reitor Pro Tempore do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN). A portaria do Ministério da Educação com a nomeação foi publicada no Diário Oficial da União.

A decisão ocorreu sem levar em consideração o resultado das eleições para a diretoria do corpo docente do IFRN. O recém-nomeado reitor sequer foi inscrito no processo eleitoral. O caso tramita na Justiça Federal.

As eleições do IFRN aconteceram em dezembro de 2019, com quatro inscritos na disputa. O professor José Arnóbio de Araújo Filho foi eleito reitor após receber 48,25% dos votos válidos. Em segundo lugar, ficou o então reitor Wyllys Abel Farkatt Tabosa, com 42,26% dos votos. Também participaram do pleito José Ribeiro de Souza Filho e Ambrósio Silva de Araújo. 

O professor Josué de Oliveira Moreira é recém-filiado ao PSL e foi candidato a prefeito de Mossoró. O novo reitor é apoiado pelo deputado federal General Girão, do mesmo partido.

Tags: Educação
A+ A-