Incentivar a leitura entre crianças e adolescentes é um desafio

Brasileiros leem em média 4,96 livros ao ano, número bem inferior a outros países. Os livros perdem para smartphones, tablets e notebooks.

Da redação,
Cedida
Segundo Keiviany Sena, escritora infanto-juvenil, ler desde cedo estimula a criatividade e amplia o repertório imaginativo

Quanto maiores as crianças, maior é o desafio de estabelecer o hábito da leitura. Muitas estão ligadas demais às tecnologias e às telas interativas que as cercam. Os livros vão ficando menos atraentes e são logo substituídos por smartphones, tablets, notebooks. Para tentar chamar a atenção do público infanto-juvenil, os autores têm buscado redobrar os esforços criando história envolventes e cheias de imaginação. 

A 4ª edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, realizada em 2019 pelo Instituto Pró-Livro, aponta que o brasileiro lê uma média anual de 4,96 livros por habitante. Índice bem inferior ao da França por exemplo, onde cada indivíduo lê em média 21 livros, segundo dados do mesmo ano do Centro Nacional do Livro (CNL). O hábito estimulado desde cedo e obras dinâmicas e cheia de aventuras ajudam a despertar o gosto pela literatura.

Os pais buscam alternativas para incentivar o hábito da leitura entre os filhos, como a dona de casa Fernanda Farias, mãe de Clarisse de 10 anos. “Sempre lemos juntas, eu leio uma parte, ela outra. Temos horário separado para esse momento. Mas o grande desafio é disputar a atenção dela com as redes sociais, Youtube, Tiktok”, explica. 

Segundo Keiviany Sena, promotora de justiça e escritora infanto-juvenil, “ler desde cedo estimula a criatividade, amplia o repertório imaginativo e possibilita o exercício da empatia com as dores, dilemas e alegrias dos personagens. Espero que os meus livros sejam um pequeno passo nessa caminhada sem ponto de chegada. A  alegria está na travessia”, reflete.

Sua obra mais recente, Miudezas, chega às livrarias no início do próximo mês. Com ilustrações da artista plástica Patrícia Melo, a obra é composta por contos infanto-juvenis. O lançamento acontece no dia 1º de outubro, às 19h30, pelo canal do youtube da editora Quase Oito, s ediada no Rio de Janeiro e especializada em literatura ilustrada. O acesso será por meio do link https://bit.ly/32UqtWo.

Miudezas narra situações sobre a infância e adolescência, como o bullying, as inseguranças, a ansiedade, o vegetarianismo e as realidades corriqueiras do dia a dia. Ao todo são 16 contos fictícios, frutos do processo criativo e imaginativo da escritora, das vivências de sua infância, ao lado das quatro irmãs, e da maternidade, com as duas filhas. 

Manoel Onofre Júnior, desembargador aposentado do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN), escritor e membro da Academia Norte Rio Grandense de Letras, contribuiu com a quarta capa da obra. Para ele, “o livro conta, de saída, com duas grandes virtudes: clareza e simplicidade na escrita, atributos essenciais de toda e qualquer obra do gênero. Mas, principalmente, transmite uma mensagem otimista e edificante”, conclui.

“Miudezas é dividido em contos, para ler de uma sentada só”, afirma a escritora. Essa é a segunda obra infanto-juvenil da autora. Em 2019 ela lançou O Fantástico Quarto de Juca, que conta a história de um menino atento às realidades do mundo ao seu redor e em busca soluções para os dilemas que surgem ao longo da vida.

Serviço

Miudezas

Lançamento: 1º de outubro, às 19h30, pelo canal da editora Quase Oito no Youtube :  https://bit.ly/32UqtWo

Site da editora Quase Oito: www.quaseoito.com.br

Perfil do instagram da autora: @keivianysena 

Tags: incentivo à leitura Keiviany Sena lançamento de livro Miudezas
A+ A-