Veja como será a retomada gradual da economia no Rio Grande do Norte

Primeira fase da flexibilização começa nesta quarta-feira, mas é importante observar restrições.

Da redação,
Rafael Araújo/Nominuto
Após diminuição do impacto da pandemia no RN, Governo começa a flexibilizar as atividades comerciais.

SELO-CORONA-100Depois de mais de 100 dias de empresas fechadas devido à pandemia do novo coronavírus e de uma série de discussões com os diversos setores da economia, o Governo do Estado determinou o início da reabertura gradual das atividades econômicas para esta quarta-feira (1°). O objetivo é que sejam autorizadas inicialmente aquelas que economicamente se encontram em situação economicamente mais crítica, com maior capacidade de controle de protocolos e que gerem pouca aglomeração.

A reabertura obedece ao Plano de Retomada Gradual da Economia do RN, elaborado pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte (Fiern) e pela Federação do Comércio do RN (Fecomércio), em parceria com outras entidades do setor produtivo, com algumas alterações na primeira fase. A proposta de cronograma divulgada pelo governo alterou de 4 para 3, o número de fases de reabertura – com intervalo de 14 dias entre elas, sendo cada fase dividida em 2 frações, com uma semana de distanciamento entre as frações – e tem previsão de duração de 35 dias.

Inicialmente, essa reabertura das atividades econômicas era prevista para 24 de junho, mas foi adiada devido à alta taxa de ocupação dos leitos UTI no Estado e de transmissibilidade do novo coronavírus naquela data.

O Plano foi regulamentado pela Portaria 6/2020, do Gabinete Civil e Secretarias de Estado da Saúde Pública e do Desenvolvimento Econômico, publicada no Diário Oficial do Estado, e estabelece a primeira fase do cronograma para retomada gradual responsável das atividades econômicas no Rio Grande do Norte, tendo como base o documento elaborado pela Fiern, com a participação da Fecomércio e de outras federações e entidades representativas do setor produtivo.

Na primeira fase de flexibilização (1° a 14 de julho) das atividades econômicas, serão contempladas atividades comerciais e demais serviços, como: atividades de comunicação e informação, agências de publicidade, design e afins, salões de beleza, barbearias e similares, estabelecimentos com até até 300 m2 e com “porta para a rua”, dos seguintes ramos: papelaria, bancas de revistas, comércio de produtos de climatização, comércio de bicicletas e acessórios, de vestuário e armarinhos.

Na segunda fase (15 a 28/07), está prevista a abertura de academias, centros comerciais e galerias comerciais, sem o uso do ar-condicionado. Já na fase 3, esses estabelecimentos poderão funcionar com o uso do ar-condicionado.

Fases-decreto-arte-unica2

Na terceira fase, que corresponde de 29/07 a 11/08, também poderão funcionar shoppings, bares, restaurantes, lanchonetes e food-parks maiores que 300m², com restrição de 4 pessoas por mesa e distância de 2 metros por mesa, mas com a proibição de consumo de bebida alcoólica no estabelecimento.

Tags: Economia
A+ A-