Taxa de desocupação no RN chega a 13,4%, aponta IBGE

Desemprego registrado no 3º trimestre deste ano sobe quase 1% em relação ao trimestre anterior.

Flávio Oliveira, IBGE,
Arquivo/Nominuto
Pnad Contínua aponta que os homens correspondem a 54,6% do total de desempregados no RN, e a mulheres, 45,4%.

A taxa de desocupação do Rio Grande do Norte no 3º trimestre deste ano chegou a 13,4%. O resultado - que abrange os meses de julho, agosto e setembro - aponta uma piora de 0,9% em relação ao 2º trimestre (abril, maio e junho). Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), divulgada nesta terça (19) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE).

Em relação ao mesmo período do ano passado, o estado potiguar também teve uma piora no desemprego. Em 2018, o RN havia registrado uma taxa de desocupação de 12,8%.

Na distribuição de pessoas desocupadas por idade, os números revelam que 6,1% possuem entre 14 e 17 anos; 30,% tem entre 18 e 24 anos; 39%, entre 25 a 39 anos; 22,9%, entre 40 a 59 anos; e 1,7% entre 60 anos ou mais.

Quando o percentual é dividido pelo sexo, a pesquisa revela que os homens correspondem a 54,6% do total de desempregados e a mulheres, 45,4%. A Pnad Contínua também estimou o rendimento médio mensal, apontando que os homens recebem em média R$ .1872, enquanto as mulheres R$ 1.699,00.

São Paulo é o único estado que diminuiu o desemprego

A taxa de desocupação de São Paulo foi a única a recuar entre os estados, caindo para 12% no terceiro trimestre de 2019, após registrar 12,8% no segundo trimestre. Na outra ponta, a desocupação cresceu apenas em Rondônia e atingiu 8,2%, uma alta de 1,5 ponto percentual. Os demais estados mantiveram-se estáveis. Os maiores níveis de desemprego foram observados na Bahia (16,8%), no Amapá (16,7%) e em Pernambuco (15,8%), e as menores em Santa Catarina (5,8%), Mato Grosso do Sul (7,5%) e Mato Grosso (8%). Já a taxa de desocupação do país no terceiro trimestre de 2019 caiu para 11,8%, após ficar em 12% no trimestre anterior.

Tags: Economia
A+ A-