RN é o primeiro no ranking de investimentos estrangeiros

De acordo com o levantamento, os investidores estrangeiros deixaram no Estado cerca de 11 milhões de dólares, o equivalente a mais de R$ 22 milhões.

Redação,
O Rio Grande do Norte é o principal destino brasileiro dos investidores internacionais. É o que aponta o relatório da Coordenação Geral de Imigração, do Ministério do Trabalho, referente ao primeiro semestre deste ano. De acordo com o levantamento, os investidores estrangeiros deixaram no Estado cerca de 11 milhões de dólares, o equivalente a mais de R$ 22 milhões e a 30% de todos os novos investimentos internacionais aplicados no país no período. 

Os investimento são, principalmente, nos setores turístico e imobiliário. Entre os países que mais investem no Estado estão Itália, Espanha e Portugal, que foram os lugares onde foi intensificado o trabalho de divulgação do Estado.

Segundo o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Marcelo Caetano Rosado, a elevação do Rio Grande do Norte para o primeiro lugar no ranking nacional de investimentos estrangeiros já é reflexo da Agenda do Crescimento, lançada em março pela governadora Wilma de Faria.
 
Ele lembra que, no primeiro semestre do ano passado, o Estado ocupava a terceira posição entre os destinos mais procurados pelos investidores, atrás de Ceará e Bahia.  "Com a Agenda do Crescimento, o governo estreitou o relacionamento com a classe empresarial e criou a estrutura necessária para atrair um maior número de investidores, com a oferta de incentivos fiscais, de gás subsidiado e de todo o apoio logístico necessário para que as empresas se instalem aqui", destaca Rosado.

Além dos investimentos consolidados, diversos grupos de grande porte internacionais já anunciaram a implantação de dezenas de projetos em solo potiguar. Dois dos maiores grupos do mercado imobiliário espanhol já anunciaram a construção de resorts e condomínios que juntos custarão nada menos que R$ 1,2 bilhão. 

Mas não são apenas empresas dos setores turístico e imobiliário que estão investindo em solo potiguar. Grupos internacionais, como o australiano Pacific Hydro, também já anunciaram pesados investimentos em outras áreas, como a energética. Os investidores da Pacific Hydro aguardam apenas a abertura de leilão pelo governo federal para se habilitar para a construção de usinas eólicas no Estado, totalizando investimento da ordem de R$ 1,5 bilhão.

O aquecimento da economia potiguar também se confirma pelo número de empregos gerados. Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho (Caged) apontam que somente em julho foram criados no Estado 3.936 novos empregos com carteira assinada, considerado o segundo melhor desempenho do Nordeste e o terceiro do país.

A+ A-