Projeto Transforma RN fomenta competitividade nas pequenas indústrias

Presidente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial, Igor Calvet, vem ao RN conhecer projeto piloto desenvolvido com 50 indústrias do setor de alimentos e bebidas.

Da redação, Sebrae,
Arquivo/FDR
RN foi um dos estados selecionados no Nordeste para receber a implantação de um projeto piloto na área de transformação digital de empresas.

O Rio Grande do Norte foi um dos estados selecionados no Nordeste para receber recursos visando a implantação de um projeto piloto na área de transformação digital de empresas. O projeto Transforma RN, que foi concebido pelo Instituto Metrópole Digital IMD), Fiern, Agência de Fomento do Estado (AGN), Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico (Sedec) e o Sebrae no Rio Grande do Norte, que é a unidade operacional executora do projeto, recebeu como prêmio da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) pela elaboração da iniciativa um aporte de R$ 1,5 milhão, recurso que já está sendo aplicado na implementação do projeto. Na próxima quinta-feira (10), o presidente da ABDI, Igor Calvet, vem a Natal consolidar a parceria e conhecer de perto o que está sendo desenvolvido por essa rede de instituições através do Transforma RN.

O propósito da rede é desenvolver um protótipo do projeto para apresentar a ABDI, criando ferramentas e um modelo de atendimento às pequenas empresas, voltado basicamente para a ampliação da produtividade e da transformação digital nessas empresas do segmento de alimentos e bebidas das regiões de Natal, Mossoró e Caicó, que possuem a maior concentração de indústrias. “Focamos na indústria de alimentos e bebidas pela grande relevância, pelo número de unidades e pela articulação com esse segmento”, explica a gerente da Unidade de Desenvolvimento Setorial do Sebrae-RN, Lorena Roosevelt.

Nessa etapa de prototipagem, já estão sendo atendidas 50 pequenas indústrias, selecionadas por um processo de inscrição. Foram realizados diagnósticos de transformação digital que abordam oito dimensões e uma pesquisa para mensurar o nível de produtividade da empresa, além de mentorias com o intuito de atuar junto à mentalidade do empresário acerca da transformação digital para assim elencar prioridades.

“Geramos uma grande matriz de prioridades das empresas com base nas informações dos empresários acompanhados pelos mentores. Somente após isso, foi criado o plano de ação que está sendo executado agora. Inclusive com a realização de várias consultorias voltadas para microssegmentos, como cervejaria, água mineral e indústria de processamento de coco, por exemplo, com o portifólio de soluções do programa Sebraetec”, acrescenta Lorena.

Maior abrangência

"O Projeto busca apoiar as empresas de alimentos e bebidas na inexorável jornada para a transição digital , trata-se de sobrevivência e de olhar para o futuro onde as pequenas empresas conquistam novos mercados a partir do relacionamento e da geração de valor para o consumidor cada vez mais informado e exigente", enfatiza a gerente do Sbrae-RN.

As consultorias seguem até julho próximo e em seguida essas empresas voltam a ser avaliadas para verificar o nível de evolução. Também está sendo desenvolvido no IMD uma plataforma digital, onde todo esse processo de atendimento que agora é feito analogicamente passe a ser digital. O próprio empresário vai poder entrar na plataforma e selecionar serviços tecnológicos que venham a resolver problemas imediatos na área de transformação digital.

“Vamos submeter o projeto para a etapa de escala, a partir de julho. Se conseguirmos êxito, a ABDI deverá aportar mais R$ 1,5 milhão e o Sebrae entrará com uma contrapartida de R$ 2 milhões para atendermos 500 empresas nessa etapa de escala e para aprimorarmos essa plataforma de atendimento”, anuncia Lorena Roosevelt.

Indústria atendida

Uma das empresas que estão sendo atendidas pela iniciativa nessa primeira etapa é a Água Mineral Cristalina de Natal. O proprietário da empresa, Djalma Júnior, reconhece que o Transforma RN é uma grande oportunidade para o Nordeste do Brasil, sobretudo por ter contemplado o Rio Grande do Norte com a aprovação do projeto na atual conjuntura econômica do país. “Essa parceria com o Sebrae, o IMD, a FIERN e a SEDEC é de grande relevância. A transformação digital é uma realidade, sobretudo com o advento da pandemia. Estamos todos envolvidos na construção de um ecossistema de inovação fortalecido”, afirma o empresário.

Na visão de Djalma Junior, é fundamental que as pequenas e médias empresas possam avançar no ambiente tecnológico e digital. “As empresas necessitam se redesenhar, repensarem seus processos e o meio digital é indispensável para que as empresas possam avançar na direção das reais necessidades de seus clientes e na própria evolução do mundo tecnológico”, defende. As expectativas da Água Minral Cristalina de Natal são, segundo o seu diretor, de ganhos significativos, considerando o grau de maturidade da empresa em relação à gestão de inovação. Para Djalma Junior, a transformação digital contribuirá para melhorar e aprimorar alguns processos. “É fundamental que o gestor analise todas as etapas dos procedimentos internos, o que pode ser digitalizado e o que pode ter de aumento de produtividade”, recomenda.

Segundo Djalma Junior, o fato do edital ser voltado para a indústria de alimentos e bebidas fortalece as empresas do ecossistema e a integração entre a academia e a indústria, porque “acredito que as pesquisas existentes dentro das universidades precisam ser cada vez mais aplicadas e levadas ao conhecimento dos industriários”.

Tags: Sebrae transformação digital
A+ A-