Porto de Natal deve ficar sem operações com contêineres durante seis semanas

Situação ocorre após PF apreender drogas em contêineres e descobrir que terminal é rota do tráfico.

Rafael Araújo,
Arquivo/PF
Polícia Federal apreendeu 3,2 toneladas de cocaína e descobriu que o Porto de Natal é utilizado como ponto de embarque de drogas.
O Porto de Natal deverá ficar sem operações marítimas de navios conteineiros durante seis semanas*. A informação foi repassada ao portal Nominuto.com por uma fonte que trabalha no terminal marítimo. Segundo uma fonte, que pediu para não se identificar, a suspensão ocorre após a Polícia Federal apreender cerca de 3,2 toneladas de cocaína no porto da cidade.

A informação também foi confirmada pelo gerente de Infraestrutura e Operações do Porto de Natal, Emerson Fernandes. “Com certeza as empresas que operam aqui, a CMA CGM, por exemplo, maior delas – devem fazer uma avaliação diante da apreensão dessas drogas. Mas, é importante ressaltar que isso nunca havia ocorrido aqui no nosso porto, essas empresas atuam aqui há muito tempo e nunca houve registro de casos como este”, disse o gestor.

O transporte de drogas através do terminal marítimo de Natal poderia ter sido evitado se o Porto de Natal tivesse uma estrutura adequada de fiscalização, com um material de scanner, por exemplo – com este equipamento seria possível fiscalizar a mercadoria sem abrir o lacre do contêiner.

NavioCMACGMPortodeNatal

Segundo Emerson Fernandes, quando o contêiner chega ao terminal marítimo, ele já vem lacrado, com número e referência, que é conferido pela guarda portuária na chegada das carretas. Na chegada do material, os funcionários do porto e das empresas que fazem o transporte não podem abrir o lacre para fiscalizar o material. Contudo, como já foi mencionado anteriormente, os containers poderiam ser fiscalizados através de um scanner capaz de identificar o material sem a necessidade de violar o item de segurança.

Diante disso, a falha de segurança do Porto de Natal consiste em não ter o equipamento que seria capaz de realizar essa fiscalização sem a necessidade de violação do lacre. Ainda de acordo com a fonte que fez o contato com portal, a suspensão das operações da CMA CGM e da Marfret, pode ser uma retaliação das empresas ao terminal de Natal, na tentativa de pressionar a administração para a compra do scanner, que de acordo com o gerente de Infraestrutura e Operações do porto, custa mais de R$ 10 milhões.

O portal tentou o contato com a CMA CGM para esclarecer o motivo da suspensão das operações no terminal marítimo de Natal, mas nossas ligações não foram atendidas. O Nominuto.com deixa o espaço aberto às duas empresas para comentar o caso.

Apreensão de drogas no Porto de Natal

noticia_181679

No dia 7 de fevereiro, a Polícia Federal, com apoio da Receita Federal e de policiais rodoviários federais, realizaram uma operação no porto com o objetivo de combater irregularidades fiscais e evitar o tráfico de drogas e armas a partir do terminal marítimo de Natal.

Após o início da operação, no dia 12, a Polícia Federal divulgou a apreensão de 1,2 toneladas de cocaína que estavam em um contêiner em meio às frutas que iriam para a Holanda. Um dias depois, a PF apreendeu mais duas toneladas da droga escondida em um carregamento de melões. Assim como no primeiro caso, a carga também teria como destino os Países Baixos.


*Matéria alterada às 16h49min para correção de informação. Anteriormente, o texto informava que o Porto de Natal ficaria sem operações marítimas de transporte de cargas. No entanto, a limitação ocorre somente aos navios conteineiros.

Tags: CMA CGM Drogas Embarque Marfret Natal Porto de Natal
A+ A-