Pequenas empresas do setor cerâmico do RN não sofrem com a crise econômica

Segundo o presidente do sindicato das Indústrias de Cerâmica, a produção e comercialização potiguar segue o mesmo ritmo.

Marília Rocha ,
O presidente do Sindicato das Indústrias de Cerâmica para Construção do Rio Grande do Norte, Pedro Terceiro de Melo, afirmou que a crise econômica ainda não afetou o setor da construção civil para as pequenas empresas do setor cerâmico.

“Eu não consigo ver a crise afetando as micro e pequenas empresas no estado de maneira forte”, diz. O empresário também afirma que o aumento nos preços de materiais da construção civil “segue a normalidade”.

O setor cerâmico no estado é um dos maiores do Nordeste, com 209 empresas, e produz para toda a região. “O nosso setor é muito ligado ao primeiro setor, com construção e assentamento de casas populares, e por isso não vai sofrer tanto com a crise”.

Terceiro de Melo acredita que o reflexo será maior nas grandes empresas, com as construções de segunda residência.
A+ A-