Natal apresenta a menor redução de endividamentos das famílias do Nordeste

Capital potiguar teve redução de 2% no total de dívidas. Números são da FecomercioSP que traz dados comparativos de 2010, 2011 e 2012.

Gerlane Lima, com informações da FecomercioSP,

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) divulga terceira edição da radiografia do endividamento da região Nordeste.

A pesquisa traz dados comparativos  de 2010, 2011 e 2012, e tem como fontes o IBGE e a CNC.

Na região Nordeste, todas as capitais - Fortaleza (17%), Recife (12%), Aracaju (7%), São Luís (6%), Teresina (3%), e Maceió, João Pessoa e Natal (2%) - tiveram redução no número de famílias endividadas. A média nacional apontou redução de 5%. Mas o que chama atenção na avaliação deste indicador é a diminuição de 39% registrada em Salvador. A segunda maior redução, por exemplo, é na cidade de Belém, capital paraense, na região Norte, com 20%, quase a metade da taxa baiana. Já os maiores índices estão na região Norte, em Palmas (TO): 43% e 26%, respectivamente.

Ainda na avaliação das variáveis de crédito, a cidade de Aracaju, capital de Sergipe, manteve o recorde no volume de famílias com contas atrasadas. Em 2011, a cidade ficou no topo do ranking com 42% de famílias inadimplentes. Em 2012, esse número avançou para 45% de famílias com dívidas em atraso. A cidade com menor volume de famílias com contas atrasadas fica na região Norte. É a capital do Tocantins, Palmas, com apenas 11% de famílias inadimplentes. Além de ser o menor entre as capitais brasileiras, este número é ainda mais baixo do que o do ano anterior, em 2011, quando ficou em 15%. A média nacional de famílias com contas atrasadas é de 22%.

Em relação à porcentagem das famílias endividadas, Salvador também se destaca por ter a menor taxa de endividamento médio, 40%.  A capital com maior taxa (88%) é Curitiba, no Paraná, região Sul. A capital paranaense lidera o ranking de famílias endividadas pelo segundo ano consecutivo. Em 2011, a média curitibana atingiu os 90% de famílias endividadas. A capital nordestina que mais se aproximou dos números de Curitiba foi Maceió, com 77% de taxa de endividamento, seguida de Natal (73%), São Luís (72%), João Pessoa (71%), Teresina (70), Aracaju (69%), Recife (67%) e Fortaleza (52%).

Entre as principais variáveis de endividamento das famílias está a parcela mensal de comprometimento do orçamento com a dívida. Os cinco maiores índices nacionais são de capitais nordestinas. A cidade de Teresina, no Piauí, lidera a lista com 40% da parcela mensal comprometida. Na sequência vêm João Pessoa (Paraíba), Maceió (Alagoas) e Aracaju (Sergipe), com 37%, e Natal (Rio Grande do Norte), com 36%. Contudo, no indicador de valor médio de dívida por família (em reais), há apenas uma capital nordestina no ranking das cinco maiores: Recife, com R$ 2.174 (em 2011, com R$ 2.028), em quinto lugar.

As demais capitais nordestinas apresentam valores compatíveis com a média de todas as capitais do País: R$ 1.950. Os valores mais altos que a média nacional estão nas cidades de Aracaju, com R$ 2.053 (R$ 1.872, em 2011); e João Pessoa, com R$ 2.004 ( R$ 1.692), além de Recife. Os valores de comprometimento mensal da dívida por famílias menores do que a média nacional estão nas cidades de Teresina, com R$ 1.896 (R$ 1.646); Natal, com R$ 1.736 (R$ 1.759); Salvador, com R$ 1.671 (R$ 1.604); Maceió, com R$ 1.529 (R$ 1.428); São Luís, com R$ 1.489 (R$ 1.392); e Fortaleza, com R$ 1.409 (R$ 1.400).


Tags: Pesquisa
A+ A-