Lote da BR-101 sob responsabilidade do Exército é o mais avançado

Iniciado ainda em 2005, trecho da rodovia que abrange a Região Metropolitana terá sua primeira parte liberada antes do período carnavalesco.

Wagner Lopes,
Fotos: Vlademir Alexandre
Em sua primeira visita às obras de duplicação da BR-101 no Rio Grande do Norte, em janeiro de 2006, Lula deixou claro que havia entregue a execução de alguns lotes do projeto ao Exército devido à dificuldade em realizar as licitações. No caso do Estado, isso possibilitou que os trabalhos do lote 1 se iniciassem em novembro de 2005, 11 meses antes do lote 2, que está a cargo da iniciativa privada.

Além de ter se iniciado antes, o lote 1 também deverá ser o primeiro a ser totalmente concluído, provavelmente em julho deste ano. Parte dele, porém, deverá ser entregue na próxima semana, até o dia 20. Esse trecho inclui a ligação de 14 km entre os municípios de Parnamirim e São José de Mipibu e ainda os 12 km restaurados entre Natal e Parnamirim, que já eram duplicados.

De acordo com o Dnit, 58% do lote 1 já foi concluído. Ao todo, esse trecho da obra possui 46,2 km de extensão, entre os Kms 96,4 e 142,6 da rodovia, e segue de Natal até as proximidades do acesso ao município de Arez. O 1º Batalhão de Engenharia de Construção de Caicó é o responsável pelos trabalhos.
O percentual já concluído inclui 23,5 km de pista de concreto, 33,89 km de pista restaurada e 57% das chamadas Obras de Arte Especiais (passarelas, viaduto e pontes). O valor investido nesse lote seria, inicialmente, de R$ 108,7 milhões, mas devido às adequações atingiu os atuais R$ 123,2 milhões. 

Na zona urbana de Natal a Parnamirim, ainda serão abertas marginais de ambos os lados da pista, onde elas não existem, e naqueles trechos nos quais as marginais são antigas, de areia ou paralelepípedo, receberão asfalto. Em Parnamirim, muitas fachadas de prédios e imóveis inteiros estão sendo derrubados para abrir espaço à passagem das marginais.
No caminho para São José de Mipibu, muitos motoristas já usam a nova pista duplicada, para ter acesso à margem esquerda de quem segue em direção a Paraíba, embora o trecho ainda não tenha sido aberto oficialmente ao tráfego. Em São José pouco foi feito e a pista próxima ao centro da cidade ainda é de mão dupla e está mal sinalizada. Após o município, os trabalhos se concentram na terraplanagem e na conclusão de pontes, incluindo as cabeceiras.

Infográfico

A+ A-