Ibovespa fecha em novo recorde de 110 mil pontos; dólar tem queda

Ministro Paulo Guedes volta a falar sobre dólar e diz que ameaça protecionista de Trump é 'equívoco brutal'.

Da redação, Estadão Conteúdo,
Werther Santana/Estadão

O Ibovespa fechou com alta de 1,23% nesta quarta-feira (4), ao novo patamar histórico de 110.300,93 pontos. O último recorde no encerramento tinha acontecido em 7 de novembro, quando o índice da Bolsa de São Paulo fechou aos 109.580,57 pontos.

Na sequência de dois dias de perdas pós-Black Friday, os índices de Nova York se recuperam, com ganhos entre 0,6% e 0,7% na sessão, em meio à retomada de otimismo quanto a um eventual entendimento entre Estados Unidos e China sobre a disputa comercial.

Em entrevista ao site O Antagonista, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o governo Jair Bolsonaro "mudou o mix" da política econômica. A intenção do governo, segundo Guedes, é fazer com que o os juros deixassem de servir como "freio" para a expansão fiscal, política que foi praticada pelo Brasil "nos últimos 40 anos". De acordo com o ministro, com o controle do gasto público possibilitando a queda dos juros, "consequentemente o câmbio vai para cima".

Ele se referiu às recentes iniciativas protecionistas direcionadas pelos EUA ao Brasil como um "equívoco brutal" do presidente Donald Trump. "Estamos só mudando o mix macroeconômico", disse Guedes, sobre a depreciação acumulada pelo real, queTrump trata como manipulação cambial.

Dólar

O dólar fechou em queda de 0,0033%, e terminou o dia em R$ 4,2023. Na semana, a moeda americana à vista acumula até aqui perda de 1,28%.

Tags: Dólar Economia Ibovespa
A+ A-