Fiern discorda do adiamento da segunda fase da retomada das atividades econômicas

Amaro Sales diz que é preciso realizar uma reabertura planejada e segura.

Da redação, Fiern,
Arquivo/Fiern
Presidente da FIERN, Amaro Sales, defende que é preciso retomar as atividades econômicas de forma responsável.

A governadora Fátima Bezerra (PT) anunciou, nesta terça-feira (7), o adiamento da segunda fase da retomada das atividades econômicas do Rio Grande do Norte. A medida, contudo, provocou reação das entidades de comércio, indústria, serviços, entre outros setores.

O presidente da Federação das Indústrias do Estado (Fiern), Amaro Sales, emitiu nota discordando da decisão do governo e disse que "os protocolos sanitários constantes do Plano não agridem os princípios de segurança e são imprescindíveis para minimizar os danos à economia do estado".

A segunda fração estava prevista para iniciar nesta quarta-feira (8), com o funcionamento de lojas com área de até 600m² com porta para a rua e serviços de alimentação com área de até 300m² respeitando o distanciamento social e as medidas protetivas e de higiene. Os estabelecimentos e serviços autorizados a funcionarem na primeira fração podem permanecer abertos – lojas com até 300m² de área e com porta para a rua, serviços de comunicação, publicidade, design, salão de beleza e barbearias.

Confira abaixo a nota da Federação das Indústria:

A FIERN permanece coerente com os princípios que fundamentaram a elaboração do Plano de Retomada Gradual da Economia, entregue ao Governo do estado em cinco de maio último.

Em nenhum momento deixamos de assegurar a absoluta prevalência da pessoa humana sobre qualquer outro valor.

Entendemos que o cronograma de retomada da economia e os protocolos sanitários constantes do Plano não agridem os princípios de segurança e são imprescindíveis para minimizar os danos à economia do estado.

Como bem adverte o Plano, ou conseguimos realizar uma reabertura planejada e segura ou correremos o risco de uma saída desordenada e descontrolada, aí sim, causando enorme perigo à segurança sanitária.

Hoje fomos comunicados que o governo do estado decidiu adiar em 7 dias o início do segundo estágio da reabertura.

A FIERN, à luz das informações disponíveis, discorda da decisão anunciada, considerando o enorme esforço de sobrevivência que vem sendo empreendido por cada empresário, buscando garantir o emprego aos seus colaboradores e, na maioria dos casos, sua própria sobrevivência e de sua família.

Amaro Sales de Araújo, presidente da FIERN

Tags: Economia Fiern
A+ A-