Feira da Economia Feminista pretende superar 200 mil reais em vendas de produtos

Coordenação do evento espera que, durante os três dias de evento, circulem na feira em torno de mil pessoas diariamente.

Ana Paula Oliveira,
Ana Paula Oliveira
Estão sendo comercializados mais de 280 itens
A 1ª Feira da Economia Feminista e Solidária do Rio Grande do Norte, que teve início nesta quarta-feira (30), na rua Açu, na lateral da Catedral de Natal, pretende superar R$ 200 mil em vendas de produtos.

Pelo menos, é o que espera uma das coordenadoras da Feira, Ester Dantas. “Esperamos que durante os três dias do evento, circulem cerca de mil pessoas diariamente”, diz a coordenadora.
Ela explica que a ação faz parte de um Programa Nacional inserido pelo Ministério de Desenvolvimento Agrário (MDA).

A feira reúne 180 expositoras e 35 jovens dos sete territórios (Mato Grande, Trairí, Seridó, Apodi, Assu-Mossoró, Central e Oeste) da cidadania do Governo Federal.

Estão sendo comercializados mais de 280 itens, entre alimentos, confecções, roupas de cama, utensílios para casa, calçados, bijuterias e artesanato.

“O que está mais forte na feira é a comercialização de mel e artesanato em palha”, afirma ela. Para a produtora de mel Sônia Rodrigues Lins de Almeida, da cidade de Porto do Mangue, a feira é uma forma de incentivo.

“Ontem consegui vender R$ 72 reais. Ainda está fraco, mas acredito que vai melhorar”, diz Sônia Almeida, completando que trouxe mercadoria para vender em torno de R$ 2 mil.
A+ A-