Desemprego recua 0,8% no RN no último trimestre de 2019, aponta IBGE

PNAD Contínua mostra que queda no Estado se mantém no mesmo patamar do índice nacional.

Rafael Araújo,
Canindé Soares
Segundo a pesquisa do IBGE, assim como em todo o país, a informalidade está alta no Rio Grande do Norte.
O desemprego recuou 0,8% no Rio Grande do Norte no último trimestre de 2019, é o que aponta a Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios-Contínua (Pnad Contínua), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada nesta sexta-feira (14). O número referente ao Estado acompanha a média nacional, que obteve o mesmo índice de redução.

O levantamento realizado pelo IBGE mostra ainda que, no 4° trimestre do ano passado, o RN teve 28,4% de trabalhadores por conta própria. O número coloca o Estado entre os 12 que possuem mais trabalhadores sem carteira assinada no país.

Em relação ao número de trabalhadores com carteira assinada, o Estado está entra as unidades federativas do país que apresentaram os piores índices. No último trimestre de 2019, o RN é o 18º colocado no ranking de profissionais celetistas, com uma taxa de 60,9%, contra 87,7% de Santa Catarina, que lidera a lista.

Informalidade cresce no Brasil

Segundo a pesquisadora do IBGE Adriana Beringuy, o aumento do emprego no país tem sido puxado pelo crescimento da informalidade. “Em vários estados a gente observa que a taxa de informalidade é superior ao crescimento da população ocupada. No Brasil, do acréscimo de 1,819 milhão de pessoas ocupadas, um milhão é de pessoas na condição de trabalhador informal”, afirmou.

Na passagem do terceiro para o quarto trimestre de 2019, a taxa de desemprego caiu em nove unidades da federação, com destaque para Maranhão (que recuou de 14,1% para 12,1%) e Pará (caiu de 11,2% para 9,2%). Nos demais estados, manteve-se estável.

Já na comparação com o quarto trimestre de 2018, houve queda em sete estados, com destaque para o Amapá (recuo de 19,6% para 15,6%). Apenas Goiás teve alta na taxa de desemprego neste tipo de comparação. Passou de 8,2% para 10,4%.

Tags: Desemprego Economia IBGE PNAD Contínua Rio Grande do Norte
A+ A-