Bares e restaurantes seguem com indefinições para reabertura em Natal

Apesar de decreto municipal liberar funcionamento, vários estabelecimentos continuam fechados.

Rafael Araújo,
Rafael Araújo/Nominuto.com
Restaurante na avenida Roberto Freire reabre com cuidados sanitários, enquanto concorrente vizinho segue apenas com serviço de entregas.

SELO-CORONA-100Os bares e restaurantes de Natal seguem com indefinições sobre a possibilidade de reabertura dos estabelecimentos. Um decreto municipal da Prefeitura do Natal, autoriza a retomada das atividades para os comércios de alimentação de até 300 metros e com porta para a rua, a partir desta terça-feira (7).

Contudo, o decreto municipal não contempla no texto da matéria os bares e só cita restaurantes, lanchonetes e food parks. Já o Governo do Estado já havia sinalizado a possibilidade de reabertura desses estabelecimentos a partir do dia 29 deste mês, mas, a governadora Fátima Bezerra anunciou hoje a suspensão da retomada das atividade econômicas previstas para amanhã (8), que ainda não incluía os bares e restaurantes.

Diante desse cenário de indefinições e contradições entre o decreto municipal da Prefeitura do Natal em relação ao publicado pelo Governo do Estado, parte dos bares e restaurantes da cidade ainda não retomaram as atividades.

Nesta terça-feira, a reportagem do portal Nominuto.com esteve em dois restaurantes da cidade e entrou em contato com proprietários de outros dois bares da capital que ainda não decidiram sobre a reabertura.

RestauranteConXinChina

Os restaurantes Com Xin China e Bari Palesi, localizados no bairro de Capim Macio, na zona sul de Natal, adotaram posições diferentes em relação à situação. O primeiro estabelecimento segue fechado e funcionando apenas com delivery, enquanto o segundo está se baseando no decreto da Prefeitura do Natal para reabrir.

Proibição na venda de bebidas atrapalha retorno dos bares

Se os restaurantes podem reabrir seguindo os protocolos sanitários estabelecidos pela Prefeitura Municipal do Natal através de decreto, a situação dos bares é um pouco mais complicada. A reabertura, neste caso, fica inviável devido a proibição na venda de bebidas alcoólicas, regra que consiste nos dois decretos (Estado e Município).

Diante dessa situação, estabelecimentos como o Churrasquinho do Pedrão, Bar do Thomas e Batata Brasil, seguem sem funcionar. “Não temos como retornar com essas condições. Os contratos dos funcionários estão suspensos e toda essa indefinição acerca da flexibilização da economia não me permite reabrir o bar neste momento. Se depender do Governo do Estado ainda vamos ficar fechados por muito tempo. Não fazem nada e ainda nos impedem de trabalhar”, disse Cleberson Amaral, proprietário do Batata Brasil.

Na mesma linha, Thomas William Batista da Cruz, proprietário do Bar do Thomas, disse que a reabertura do estabelecimento é inviável sem a venda de bebidas alcoólicas. "Não tenho como abrir nessas condições, vou ter que esperar mais", lamentou.

Governo suspende retomada gradual da economia do Estado

A governadora Fátima Bezerra (PT) anunciou no início da tarde desta terça-feira (7) que decidiu suspender a programação de retomada das atividades econômicas no Rio Grande do Norte, que estava prevista para começar a partir de amanhã (8).

De acordo com a chefe do Executivo, o Estado não conseguiu reduzir a taxa de ocupação dos leitos para 80%, que de acordo com a gestora, é uma condição que já estava prevista no decreto.

“Nós quando resolvemos autorizar o início da retomada parcial de uma pequena parte das atividades econômicas o fizemos com base nas tendências que estavam em curso. A taxa de transmissibilidade que havia tido uma redução ao mesmo tempo em que nós colocávamos que para dar continuidade a essa retomada nós precisaríamos também que a taxa de ocupação de leitos ficasse inferior a 80%”, explicou Fátima.

A governadora justificou a decisão dizendo que continua realizando todos os esforços para ampliar a rede de saúde do RN, mas que ainda não é suficiente para garantir uma reabertura da economia de maneira segura.

“Em que pese todos os esforços que nós temos feito. Ao longo desse período já são 440 entre leitos de UTI e leitos clínicos. Nos últimos 15 dias nós conseguimos instalar 72 leitos de UTI, mas mesmo assim nós não conseguimos trazer a taxa de ocupação para inferior a 80%. Essa é a razão, seguindo fielmente o próprio decreto, pela qual nós estamos portanto suspendendo a segunda fase, que seria a continuidade da retomada das atividades econômicas”, justificou.

Tags: Economia
A+ A-