Aula inaugural do “Aprendendo Mais” vai acontecer segunda-feira no Cemure

Índice de analfabetismo em Natal gira em torno de 8% da população.

Da redação, Prefeitura do Natal,
Marcos Alves/Getty Images
Índice de analfabetismo em Natal gira em torno de 8% da população, ou seja, perto de 50 mil natalenses não sabem ler e escrever.

A Prefeitura do Natal, através da Secretaria Municipal de Educação (SME), promove na próxima segunda-feira (14), às 18h, a aula inaugural do Programa de Alfabetização Aprendendo Mais, com o propósito de combater o analfabetismo na capital potiguar. A aula inaugural vai acontecer no auditório do Centro Municipal de Referência em Educação Aluízio Alves (Cemure).

A aula inaugural do Aprendendo Mais vai ser proferida pelos professores Betania Leite Ramalho (professora doutora da UFRN e ex-aluna de Paulo Freire), Marcos Guerra (advogado e um dos coordenadores do projeto de Paulo Freire na experiência de Angicos-RN) e Ednice Peixoto dos Santos (secretária adjunta de Gestão Pedagógica da SME e coordenadora do Aprendendo Mais),

Aprendendo Mais

O índice de analfabetismo em Natal gira em torno de 8% da população, ou seja, perto de 50 mil natalenses não sabem ler e escrever. Para enfrentar essa realidade, a Prefeitura do Natal implementa Rede Municipal de Ensino um programa com o objetivo de alfabetizar jovens, adultos e idosos na perspectiva da pedagogia freireana, adotando uma metodologia atualizada, de modo a atingir um universo maior de natalenses fora da faixa escolar e incentivando a permanência e continuidade da formação escolar na modalidade EJA, através da qualificação e/ou requalificação profissional e encaminhamento ao mercado de trabalho.

O programa vai beneficiar, nesta primeira fase, 750 alunos nas quatro zonas da cidade. O Aprendendo Mais selecionou 10 alfabetizadores e 6 coordenadores para atuarem nos 14 polos (cinco na Zona Oeste, quatro na Zona Norte, três na Zona Sul e dois na Zona Leste). O programa vai atender alunos acima dos 15 anos de idade, com turmas de até 25 estudantes com aulas no turno noturno – das 19h às 21h30 – pelo período de cinco meses.

O Aprendendo Mais conta com consultoria da UFRN, que disponibilizará um estagiário por sala para acompanhar o trabalho dos professores, e parcerias firmadas com a Secretaria de Trabalho e Assistência Social e o Sebrae, que irão qualificar ou requalificar o aluno focando na inserção no mercado de trabalho.

Inscrições

As matrículas continuam abertas e os interessados em participar do Programa Aprendendo Mais podem realizar suas inscrições a partir das 18h nos seguintes polos:

Zona leste

Escola Municipal Professor Antônio Campos - (Rua João XXIII, 263, em Mãe Luiza);
Escola Municipal Santos Reis - (Rua Décio Fonseca, S/N, bairro Santos Reis).

Zona sul

Escola Municipal São José - (Rua Vereador Manoel Coringa de Lemos, 423, em Ponta Negra);
Escola Municipal Professora Josefa Botelho - (Rua Manoel Congo, S/N, Ponta Negra);
Escola Municipal Professor Ulisses de Góis - (Rua Padre Raimundo Brasil, S/N, Nova Descoberta).

Zona norte

Escola Municipal Professora Maria Alexandrina Sampaio - (Rua do Anequim, S/N, bairro Pajuçara);
Centro de Assistência Social e Sustentabilidade Comunitária - (Rua Coroado, 67, no bairro Pajuçara);
Escola Municipal Professor José Andrade Frazão - (Avenida Boa Sorte, 1830, em Nossa Senhora da Apresentação);
ONG Transformando Vidas - (Rua Patativa do Assaré, 2994, em Nova Natal).

Zona oeste

Escola Municipal Celestino Pimentel - (Av. Pernambuco, 145, na Cidade da Esperança);
Escola Municipal Professora Almerinda Bezerra Furtado - (Rua Novo Guarapes, S/N, no bairro Guarapes);
Escola Municipal Professora Francisca Ferreira da Silva - (Av. Industrial João Francisco da Mota, 3804, no bairro Bom Pastor);
Escola Municipal Professor Zuza – (Av. Miguel Castro, S/N, no bairro Nossa Sra. de Nazaré);
Conselho Comunitário Vivendas do Planalto – (Conjunto Leningrado, bairro Planalto).

Método Paulo Freire

A educação é um ato político, que pode contribuir para a transformação social e a libertação dos oprimidos (Freire, 1981). Foi com essa perspectiva que o educador Paulo Freire acreditava que a alfabetização poderia ser um instrumento para liberar os oprimidos da condição de pobreza e inferioridade que viviam. A pedagogia freiriana, que visava o enfrentamento do analfabetismo da população em nosso país, nos anos 1960, deixou sua marca.

No seu programa de alfabetização ou na sua pedagogia, valorizava as palavras do mundo vocabular dos grupos populares, o lugar do ser humano no mundo e seu diálogo com o outro, o valor social do seu trabalho e sua capacidade de transformar a natureza e transformar-se. Além disso, formulou conceitos de conscientização, educação libertadora, cultura popular, círculo de cultura e pedagogia do oprimido.

Tags: Prefeitura do Natal Programa de Alfabetização Aprendendo Mais SME
A+ A-