Entidade de defesa dos direitos humanos denuncia morte de lutador

Comitê Olímpico Internacional lamenta execução do iraniano Navid Afkari.

Da redação, Agência Brasil,
Reuters
Sindicato global que representa 85 mil atletas pediu a expulsão do Irã do esporte mundial se Afkari fosse executado.

A instituição Iran HRM (Monitor de Direitos Humanos do Irã, em tradução livre) anunciou neste sábado (12) que o lutador Navid Afkari foi executado por enforcamento.

Segundo a agência de notícias Reuters, o lutador de 27 anos recebeu duas penas de morte após ser condenado por matar um segurança a facadas e por outras acusações ligadas a protestos antigoverno no ano de 2018.

Porém, segundo familiares de Afkari e ativistas, o atleta teria sido torturado para fazer uma confissão falsa. Além disso, o advogado do atleta disse que não havia provas da culpa de seu cliente.

Lamento do COI

O Comitê Olímpico Internacional (COI) emitiu uma nota neste sábado lamentando a execução do lutador: “A execução do lutador Navid Afkari no Irã é uma notícia muito triste. O COI está chocado com o anúncio de hoje. Em cartas, Thomas Bach, presidente do COI, fez apelos pessoais diretos ao Líder Supremo e ao Presidente do Irã nesta semana e pediu misericórdia para Navid Afkari, respeitando a soberania da República Islâmica do Irã (...). Nossos pensamentos estão com a família e amigos de Navid Afkari”.

Notícia devastadora

Outra entidade a lamentar a morte do atleta foi a United World Wrestling (Federação Internacional de Wrestling, em tradução livre): “É profundamente perturbador que os apelos de atletas de todo o mundo e todo o trabalho de bastidores da United World Wrestling e da Federação Iraniana de Wrestling, em conjunto com o COI junto e o Comitê Olímpico do Irã, não tenham alcançado nosso objetivo. A notícia é devastadora e toda a comunidade do wrestling lamenta a morte”.

Tags: direitos humanos execução Navid Afkari repercussão internacional
A+ A-