Transporte ferroviário é opção para solucionar congestionamentos

Dois projetos visam a modernização e expansão da oferta de trens para amenizar os problemas do trânsito.

Karla Larissa,
arquivo Nominuto
Ampliação de sistema de trens é planejada para diminuir problema do congestionamento.
Para chegar ao trabalho, à escola ou ao destino para outros compromissos, milhares de natalenses enfrentam uma maratona diária na dependência do transporte coletivo rodoviário. Horas de espera, aperto e outros inconvenientes têm feito os usuários desse sistema a optarem por adquirir seu próprio veículo. O resultado foi a venda de 15.084 carros novos somente entre os meses de janeiro e julho e o aumento dos congestionamentos. Mas uma das opções mais antigas de transporte coletivo pode ser a solução para o aumento da demanda de passageiros: o transporte ferroviário.

Possuindo apenas três locomotivas antigas, a Companhia Brasileira de Trens Urbanos/RN mantém uma média de passageiros diária de 12 mil, mais que o dobro de quatro anos atrás que era de cerca de 5 mil. “Estamos melhorando a freqüência dos trens da Zona Norte, desde janeiro, o que tem contribuído para desafogar o trânsito, principalmente nos horários de pico”, conta o superintendente da CBTU José Fernandes da Silva.

No entanto, esta contribuição do transporte ferroviário pode ser ainda maior e mais necessária na avaliação de Fernandes. “Estamos limitados pelos equipamentos”, afirma. De acordo com o superintendente, um projeto da CBTU prevê a modernização dos dois ramais atuais que liga Natal a Ceará-Mirim e a Parnamirim.

O projeto prevê a aquisição de 12 trens leves, com 600 lugares cada e com capacidade para transportar 60 mil pessoas diariamente. O investimento de 167 milhões de reais também seria para fazer uma pequena expansão da linha férrea abrangendo a avenida Bernardo Vieira, na altura do Midway Mall, passando pela avenida Presidente Bandeira. “Com esse projeto teríamos capacidade de ter um trem a cada minuto saindo de Extremoz e passando pela Zona Norte”, estima.

Segundo Fernandes o projeto aguarda aprovação para ser inserido no orçamento da União e se for aceito deve ser concluído em três anos. Mas o superintendente ainda acrescenta que o Governo do Estado estaria planejando também outro projeto que propõe a expansão do sistema para os municípios de São Gonçalo, Macaíba, Nísia Floresta e São José de Mipibu. “Esse projeto irá atender quase 100% da região metropolitana de Natal”, afirma.

Benefícios

Entre os pontos a favor do transporte ferroviário, conforme Fernandes, estão os fatos de não provocar poluição, impactos, diminuição de acidentes de trânsito e, principalmente de congestionamentos, além do baixo custo (a passagem custa 0,50 centavos de reais).

“Nós temos hoje problemas de congestionamento em vários pontos, não só na Zona Norte. Vai chegar ponto das pessoas sofrerem com congestionamento e perderem muito tempo, como acontece nas grandes cidades. Por isso, é importante explorar um sistema com capacidade de transportar um grande número de passageiros”, opina.
A+ A-