Sistema penitenciário produz hortaliças orgânicas

Iniciativa faz parte dos projetos que reativaram a agricultura na Penitenciária Agrícola Doutor Mário Negócio, em Mossoró.

Da redação, Seap,
Ascom/Seap
Produção, nessa primeira etapa, será utilizada para o consumo interno do presídio e doada para o Albergue Albem.

A Secretaria da Administração Penitenciária (Seap), através da direção da Penitenciária Agrícola Doutor Mário Negócio, doará a instituições de caridade de Mossoró, nesta sexta-feira (3), hortaliças orgânicas cultivadas por internos da unidade. A iniciativa faz parte dos projetos que reativaram a agricultura na unidade penal e que já produziu milho e jerimum e, em breve, vai ajudar aos atingidos pela seca com a doação de 10 mil mudas de caju.

A Seap tem estimulado o trabalho e a educação no sistema penal do RN. O secretário Pedro Florêncio Filho explica que o objetivo é manter o controle, a segurança e a disciplina nos presídios e avançar em ações que promovam a ressocialização dos apenados, como a realização de cursos profissionalizantes e de qualificação, além de parcerias com instituições e empresas interessadas em contratar mão de obra carcerária.

0 diretor da Mário Negócio, policial penal Márcio Morais, explica que os apenados que trabalham diretamente na horta de salsa e cebolinha são voluntários. A direção detecta aqueles que tem bom comportamento, aptidão para a agricultura e que possam ser utilizados como agentes replicadores de conhecimento dentro da unidade. Eles não  utilizam agrotóxico e cultivam também milho e jerimum. “A unidade tem solo fértil, água em abundância e internos aptos ao trabalho”, disse Márcio Morais.  
Além do caráter ressocializador do trabalho, o projeto beneficia os apenados com um dia de  pena remido para cada três dias trabalhados, de acordo com a Lei de Execuções Penais (LEP). 

A produção, nessa primeira etapa, será utilizada para o consumo interno do presídio e doada para o Albergue Albem, instituição que abriga acompanhantes de pacientes do interior que fazem tratamento médico pelo SUS em Mossoró, e para  o Instituo Amantino Câmara, abrigo que cuida de cerca de 70 idosos.

A salsinha fortalece o sistema imunológico por ser rica em vitamina C e ter propriedades antibacterianas, além de prevenir anemias, por ser rica em ferro e ácido fólico. Já a cebolinha,  é uma boa fonte de vitaminas A e C, sendo um bom auxílio no combate à gripe e às doenças respiratórias em geral. Ambos são ingredientes essenciais na fabricação de temperos usados em comidas regionais.

Tags: hortaliças orgânicas Penitenciária Agrícola Doutor Mário Negócio sistema penitenciário
A+ A-