Servidores da saúde do estado iniciam greve nesta quinta-feira

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Saúde, a falta de negociação do governo estadual foi o que motivou a paralisação.

Gerlane Lima,

saude_mOs servidores da saúde do estado iniciam uma greve nesta quinta-feira (1). Decisão, aprovada por unanimidade, foi tomada em assembleia realizada no último dia 25 e reuniu 300 servidores.

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Rio Grande do Norte (Sindsaúde), a falta de negociação do governo estadual foi o que motivou a paralisação. Dois meses após a entrega da pauta, os servidores foram recebidos apenas pela Sesap, sem que a Secretaria de Administração ou a governadora tenham se pronunciado sobre as reivindicações.

A programação da greve inclui manifestações de rua, parando os hospitais, na capital e no interior. Desde segunda-feira (29), são realizadas reuniões nos principais hospitais, para organizar a greve, definir a quantidade de servidores que irão paralisar em cada setor, mantendo os 30% exigidos por lei.

A greve também envolve os servidores aposentados. Categoria busca a extensão dos 22% de reajuste nas gratificações.

O calendário de atividades continua ao longo da semana, com um ato amanhã (2) de agosto, em conjunto com as demais categorias do funcionalismo estadual. No dia 7, será feita uma vigília no Walfredo Gurgel, com 200 velas, para lembrar os 200 óbitos mensais, por falta de leitos, atendimento e condições do principal hospital do Rio Grande do Norte. Na semana seguinte, foi aprovado o indicativo de uma caravana à Mossoró, cidade da governadora Rosalba, para fortalecer a greve na cidade.

A assembleia rejeitou a proposta do governo estadual, de utilizar uma rubrica nova para a incorporação dos 25% das gratificações. A Searh comunicou ao sindicato que encontrou “dificuldades legais” para incorporar os 25% da GAE e da Jornada Especial ao salário-base, pois isso iria gerar salários diferenciados, para servidores que ocupam a mesma função. Sendo assim, a saída proposta pela Searh foi criar uma rubrica. O Sindicato não aceitou alegando que seria uma nova gratificação.

Tags: greve saúde
A+ A-