Pipa teve multidão aglomerada e várias pessoas sem máscaras durante o feriado

Secretaria de Segurança informou que atuação para dispersar tumulto foi prejudicada por causa de decreto.

Rafael Araújo,
Divulgação/Redes sociais
Multidão tomou conta de Pipa durante o feriadão e várias pessoas foram flagradas bebendo e desrespeitando decreto municipal.

SELO-CORONA-100A Praia da Pipa, localizada no município de Tibau do Sul, registrou grande aglomeração de pessoas durante o feriadão da Independência. Desde o sábado (6), circulam nas redes sociais imagens da rua Praia dos Golfinhos, principal via da cidade, com grande quantidade de pessoas.

Segundo a assessoria de comunicação da Secretaria de Segurança Pública, a Polícia Militar esteve com efetivo na cidade, mas pouco pode fazer no tocante à dispersão das aglomerações por causa do decreto municipal da Prefeitura de Tibau do Sul, que flexibilizou a atividade econômica na cidade e permitiu o funcionamento de bares, restaurantes e a entrada de turistas.

Além disso, a Secretaria de Segurança informou que a aplicação de multas impostas pelo decreto era de responsabilidade da Prefeitura e que a Polícia Militar estava ali para atuar apenas para dar apoio à gestão municipal.

Nas imagens que ganharam as redes sociais, é possível ver uma multidão nas ruas, com muitas pessoas sem utilizar máscaras. E, de acordo com a Polícia Militar, também havia pessoas consumindo bebidas alcoólicas no meio da rua – o que foi proibido pelo decreto estabelecido pela Prefeitura de Tibau para o feriadão em Pipa.

“De fato houve uma aglomeração muito grande e tinha si pessoas consumindo bebidas alcoólicas, mas o papel da Polícia Militar lá foi apenas de orientação. Em relação a aplicação de multas, isso cabia à Prefeitura da cidade”, disse o tenente-coronel Eduardo Franco, assessor de comunicação da Polícia Militar.

Decreto

O decreto publicado pela Prefeitura de Tibau do Sul que estabelecia medidas para o enfrentamento à covid-19 durante o feriadão determinava que os estabelecimentos comerciais teriam que fechar as portas à meia-noite. Haveria, no entanto, uma tolerância de 60 minutos para que os clientes se retirassem do local e houvesse o encerramento das atividades.

Na publicação, a Prefeitura informou que só iria permitir a execução de música ambiente, ao vivo ou mecânica, nos bares, restaurantes, hotéis e demais espaços do gênero, também só é permitida até 0h, com a frequência máxima de 55dB (decibéis), sem aglomerações de pessoas, nem público em pé, respeitando sempre o distanciamento 1,5m (um metro e meio).

Também estava proibido o consumo de bebidas alcoólicas nos espaços e vias públicas, como também a execução de qualquer equipamento sonoro ou de instrumentos musicais em qualquer horário. Essa regra, no entanto, foi desrespeitada por grande parte das pessoas.

O decreto também estabeleceu multas de R$ 300 para pessoas físicas e de até R$ 3.000 para pessoas jurídicas em caso de descumprimento das medidas. As infrações poderão ser constatadas através de registro fotográfico, com aplicativo que registra data, hora e coordenadas, pelas autoridades competentes, com o apoio dos servidores públicos municipais.


Confira o vídeo:


Tags: Cidades
A+ A-