Mais uma greve: agentes de saúde param em Natal

Os agentes de saúde entraram em greve por tempo indeterminado na manhã desta quarta-feira (12).

Gabriela Duarte,
Os agentes de saúde comunitários e endêmicos da capital entraram em greve por tempo indeterminado na manhã desta quarta-feira (12). 

Com adesão de cerca de 80% dos servidores, a principal reivindicação da categoria é o cumprimento do acordo salarial de reequiparação do Plano de Cargos e Salários (PCS), no valor de R$ 458,00. 

A última greve dos agentes de saúde foi em julho passado, quando, segundo o diretor da secretaria dos Agentes de Saúde do Sindicato dos Trabalhadores da Saúde no RN (Sindsaúde), Márcio Yvanncy, a Secretaria Municipal de Saúde havia se comprometido a pagar o reajuste.  Porém, o acordo ainda não foi enviado a Câmara Municipal de Natal para votação.

“É um reajuste de apenas R$ 78,00, a nos Secretaria prometeu pagar a partir de agosto, já estamos em setembro e o acordo ainda não foi assinado pelo Prefeito e muito menos enviado para a Câmara para a votação dos vereadores, isso é um absurdo”, afirmou Márcio Yvanncy. 

Os servidores grevistas estão realizando uma movimentação nesta manhã desda quarta-feira (12), saindo da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) em direção à Prefeitura, “vamos falar com o prefeito para ele assinar o acordo para poder ser encaminhado à Câmara, e vamos aproveitar que a secretária Aparecida França está na Assembléia Legislativa para falarmos com ela e vê quais serão as providências tomadas”, disse Márcio. 

“A população de Natal e alguns municípios da região metropólitana serão prejudicados por culpa da SMS e da Prefeitura, serão atingidos serviços como acompanhamento à tuberculose, gestantes e idosos e o controle da dengue. Outro serviço que será prejudicado é a vacinação anti-rábica, que começaria próxima semana”, alertou o diretor do Sindsaúde. 

Outra reivindicação da categoria é a agilidade na análise do processo seletivo da categoria que, segundo Márcio Yvanncy, pode causar a demissão de 112 funcionários. “A Prefeitura alega que houve erro em alguns processos, que vários servidores não participaram. Mas muitos têm provas de que participaram do processo seletivo . E para piorar a situação, recebi a informação que esses 112 funcionários só vão receber seus salários até o dia 10 de outubro, e que depois disso serão demitidos. Se isso for realmente verdade, será uma enorme falta de respeito com nós servidores”, disse.
A+ A-