Favelas de Natal crescem 1.324% e lideram ranking nacional

Em dez anos, os chamados aglomerados subnormais deram salto significativo; entre capitais, Natal lidera.

Dinarte Assunção,
O número de pessoas vivendo em habitações precárias em Natal saltou de 5.112, em 2000, para 80.774 no ano passado. O salto é de 1.324%, segundo revelou o IBGE na divulgação das estatísticas dos Aglomerados Subnormais, do Censo 2010.

 

Dez anos atrás, o percentual da população morando em favelas na capital representava 0,7%. De acordo com o IBGE, o aumento registrado foi o maior entre as capitais do País. O índice foi o dobro da segunda colocada, Florianópolis (643%). São Luis (550%) e Macapá (543%) aparecem logo atrás.

 

A capital tem 22.561 domicílios em áreas consideradas aglomerados subnormais (assentamentos irregulares conhecidos como favelas, invasões, grotas, baixadas, comunidades, vilas, ressacas, mocambos, palafitas, entre outros). Mossoró, com quase 250 mil habitantes, tem cerca de 6 mil vivendo em favelas.

 

O êxodo do interior para a capital do Estado e falta de políticas de trabalho e assistência social capazes de conter esse movimento foram apontados como principais motivos para o aumento registrado.

 

No Brasil, 11,4 milhões (6% da população) vivem em favelas, quase metade na região Sudeste.

 

A+ A-