Dia de Finados em Natal será sem missa e sem venda de artigos religiosos

Recomendação é para que as pessoas iniciem a visitação já a partir desta segunda-feira.

Da redação, Prefeitura do Natal,
Divulgação/Semsur
Para evitar aglomerações no Dia de Finados, não haverá celebrações eucarísticas nem venda de artigos religiosos.

O Dia de Finados, celebrado em 2 de novembro, ocorrerá este ano de forma excepcional nos oito cemitérios públicos de Natal, que adotarão medidas de segurança sanitária recomendadas pela Secretaria Municipal de Saúde em decorrência da pandemia da covid-19. Para evitar aglomerações, a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur) determinou que, este ano, não haverá celebrações eucarísticas nem venda de artigos religiosos no entorno dos cemitérios.

E recomenda que as pessoas iniciem a visitação já a partir do início desta segunda-feira (26), durante todo o decorrer da semana. O horário de visitação será das 7h às 17h, em todos os oito cemitérios (Alecrim, Bom Pastor I, Bom Pastor II, Parque de Nova Descoberta, Ponta Negra, Redinha, Igapó e Pajuçara).

Com o objetivo de oferecer maior segurança sanitária, serão determinadas medidas de praxe como a obrigatoriedade do uso de máscara e o uso de álcool em gel. Caso as medidas não sejam adotadas, ficará proibida a entrada nos cemitérios. A Semsur não recomenda ainda a presença de mulheres grávidas, idosos e portadores de doenças crônicas.

De acordo com o secretário municipal de Serviços Urbanos (Semsur), Irapoã Nóbrega, as mudanças têm o intuito de evitar a suspensão do Dia de Finados para que a população preste homenagens aos seus entes queridos. No entanto, ele apela para a conscientização das pessoas e das famílias no combate à pandemia.

“É necessário que cada um faça a sua parte. É um trabalho em conjunto do poder público com o cidadão. Nossa recomendação é de que a população procure antecipar a visita aos cemitérios já a partir desta segunda-feira, de forma que no dia 2 não tenhamos aglomerações”, afirmou.

Tags: cemitérios covid-19 Dia de Finados novo coronavírus pandemia Semsur
A+ A-