Desastre Potengi: Labomar reafirma culpa da empresa de carcinicultura

O relatório da Universidade do Ceará aponta também a grande quantidade de matéria orgânica como causa da mortandade de peixes.

Karla Larissa,
O laudo do Instituto cearense de Ciência do Mar (Labomar) reafirma que a causa do desastre no Potengi foi a grande quantidade de matéria orgânica, que teria sido lançada na despesca feita pela empresa de carcinicultura Veríssimo e Filhos Ltda.

De acordo com o Labomar, o consumo do oxigênio dissolvido, presente nas águas provocou a morte desses animais por asfixia. “O processo foi acelerado e facilitado pelas elevadas concentrações de amônia, cuja toxidez ocorre justamente pela diminuição da capacidade de utilização do oxigênio pelos organismos.”, diz o relatório.

Além de confirmar a culpabilidade apontada por parecer do Instituto de Defesa do Meio Ambiente (Idema), o laudo ainda descarta que as demais variáveis ambientais analisadas tenham demonstrado níveis compatíveis com a mortandade observada.

O relatório ainda ressalta a necessidade urgente de uma atualização das emissões de contaminantes para a bacia estuarina e a instalação de medidas de minimização de cargas.
A+ A-