Dengue tem queda em Natal

Enquanto os números do país aumentam, a cidade está conseguindo reduzir seus índices. Mutirões têm sido importantes.

Redação,
O Plano de Enfrentamento da Dengue, adotado pelo Centro Controle de Zoonoses (CCZ) da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) mostra que a dengue está sendo contida nos bairros de Natal. Número de casos da doença até esta quinta-feira (6) teve queda no município. O resultado é divergente ao que ocorre no país.

Entre os meses de agosto e setembro, o Mutirão da Dengue teve atuação nos bairros de Igapó, Pajuçara, Nova Descoberta e Barro Vermelho. As ações continuam nos bairros durante o mês de setembro. O próximo mutirão está previsto acontecer após o dia "D" da Campanha Nacional Vacinação Anti-rábica, que será realizada no dia 22 deste mês.

O CCZ mutirão faz parte do plano de enfrentamento da dengue que o CCZ realiza periodicamente no intuito de intensificar o combate ao mosquito transmissor da dengue em Natal. O plano consiste em tratamento de rotina – químico (fumacê) ou biológico e manejo.

Os mutirões, com cerca de 400 pessoas entre agentes de endemias, supervisores gerais e de áreas, coordenadores, que visitaram até esta quinta 22.439 imóveis, fazem rastreamento casa a casa e eliminam os possíveis focos da dengue. Com isso, eles destroem os criadouros do mosquito Aedes aegypti, além de oferecerem orientações sobre a doença.

Dados do Ministério da Saúde registram que, nos sete primeiros meses deste ano, o Brasil registrou 438.949 casos de dengue. O número representa aumento de 45,13% em relação ao mesmo período de 2006, quando 302.461 pessoas tiveram a doença.

Os estados do Mato Grosso do Sul, Paraná e Rio de Janeiro, em números absolutos, concentram mais de 85% do aumento do número de casos registrados, que chegou a 136.488.

Já em Natal, neste ano, houve uma queda sensível de casos de dengue, se comparado ao mesmo período de 2006.

Dados da SMS registram até o momento 3.337 casos notificados de dengue. A marca representa redução para 12,23% em relação ao ano passado, que teve o registro de 3.802 casos. Este ano, 1.418 casos foram confirmados, reduzindo para 42,5%, se comparado com 2006, quando foram confirmados 2.091 casos.

Os casos de febre hemorrágica deste ano obtiveram uma redução de 69,23%, com 12 casos confirmados. Em 2006, 39 casos foram confirmados. Neste ano, não houve óbito (100%), diferente de 2006, ano que registrou três óbitos.

O índice de infestação do mosquito caiu de 5,9 para 4,1%, se comparado com o mesmo período do ano passado.
A+ A-