Curiosos se arriscam para ver erosões no açude de Tangará

Apesar do alerta da Defesa Civil de que reservatório d’água pode romper, fluxo de pessoas no local era constante na tarde deste sábado.

Túlio Duarte,
Foto: Elpídio Júnior
Curiosos chegam bem próximo à cratera.
Curiosos que desejavam ver de perto a erosão na parede do açude Guarita, no município de Tangará, chegaram a se arriscar na tarde deste sábado (29). Sem a dimensão do perigo, alguns chegaram bem próximo de uma cratera formada após desabamento de terra nesta manhã. Ao redor dela, há rachaduras, que prenunciam novas erosões.

Apesar de a Defesa Civil do município ter feito o alerta de que a parede pode romper, o local virou ‘ponto turístico’. Vários carros formavam fila na estrada carroçável que dá acesso ao açude. Algumas motos também estavam estacionadas no local. No início da parede, galhos secos de árvores e arames impediam que os transportes avançassem sobre a construção ameaçada.

No entanto, ninguém estava controlando o fluxo de pessoas. Sentados sobre a parede, alguns jovens assistiam ao trabalho dos técnicos e a movimentação do trator, cedido pelo Batalhão de Engenharia de Caicó, e da retroescavadeira hidráulica, do Departamento de Estradas de Rodagens (DER). Questionados se não temiam o local, eles responderam com uma negativa.

“Hoje dei entrevista na rádio de Tangará, pedi as pessoas para não irem para o açude. As pessoas estão fazendo de lá um ponto turístico e aquilo não é um ponto turístico. Cada vez que as pessoas passam ali a terra vai cedendo”, alertou o secretário estadual da Justiça e Cidadania, Thiago Cortez.

Ribeirinhos também se arriscam
Caso haja a ruptura da parede do açude, um dos municípios que será mais atingido é o de Boa Saúde. Lá, o Corpo de Bombeiros Militar alertou os ribeirinhos para que evitem ficar no percurso do rio.
Foto: Elpídio Júnior
Corpo de Bombeiros Militar alertou os ribeirinhos para que evitem ficar no percurso do rio.

Um homem, com sinais de embriaguez, foi retirado da água por dois bombeiros. A medida foi apenas preventiva, uma vez que a lamina d’água sobre a barragem de Boa Saúde subiu de 8 cm para 20 cm, após o aumento da vazão do açude Guarita.

Mais à frente, algumas pessoas estavam se banhando nas águas sob a ponte localizada em Boa Saúde, mesmo após a prefeita da cidade, Maria Edice Félix, ter espalhado carros de som anunciando os perigos.
A+ A-