Agentes de saúde protestam contra aumento de carga horária

Ministério Público determinou quinze dias para a apresentação de argumentos jurídicos para que sejam mantidas as seis horas.

Geraldo Miranda,
Os agentes de saúde realizaram um protesto nesta quinta-feira (27), às 14h, em frente ao prédio do Ministério Público contra a decisão que obriga os servidores a trabalhar oito horas em dois turnos.

Após o protesto dos agentes de saúde, a promotora da saúde Elaine Cardoso e a representante do Ministério Público Ileana Neiva Mousinho realizaram uma reunião com os agentes, onde definiram que os servidores terão quinze dias para apresentar os argumentos jurídicos para que o regime de seis horas corridas seja mantido. Durante este período, o horário de seis horas corridas será mantido.

O primeiro secretário do Sindicato dos Agentes de Saúde (Sindas), Cosmo Mariz explicou que a decisão de aumentar a carga horária para seis para oito horas é contraria ao Ministério da Saúde.

“A nossa carga horária de seis horas corridas corresponde às oito horas, pois não paramos. O expediente começa às 7h e terminando às 13h”, esclarece o primeiro secretário.

Assim que o recurso for entregue a promotoria será agendada uma nova reunião para definir se a carga horária dos agentes de saúde será alterada.
A+ A-